BR 116 ou BR 101 – qual o melhor caminho?

Aqui você vai saber um pouco sobre a estrada que liga SP e Curitiba e também qual o melhor caminho para fazer de Curitiba ao RS. Afinal, qual a estrada é melhor entre Porto Alegre e Curitiba? BR-101 ou BR-116? Bem, de São Paulo a Curitiba o caminho é a Régis Bittencourt, que agora está totalmente duplicada na Serra do Cafezal, em SP. Passei pela região de carro em janeiro de 2019, no sentido SP – Curitiba. Há 3 túneis neste trajeto.IMG_20190119_074713225.jpg

IMG_20190119_074721879.jpg

Com a duplicação, a estrada ficou uma beleza.

IMG_20190119_074039883.jpg

IMG_20190119_074820955.jpg

Em 2018, fiz a viagem entre as duas capitais de ônibus. No sentido Norte, há pelo menos um túnel. Uma curiosidade: com a duplicação, a estrada ficou com um trajeto bem peculiar. Os dois lados, norte e sul, se sobrepõem em alguns trechos. Dá para dizer que a rodovia serpenteia… Mas o melhor de tudo é que com o trecho duplicado, a viagem entre SP e Curitiba ficou mais fácil. Janeiro de 2017 eu fiz o trajeto Sul – Norte de carro, saindo de Curitiba para São Paulo. Era domingo, primeiro de janeiro, com pouquíssimo movimento. Eu diria que a BR-116 estava como a gente gosta:

DSCN4466_640x480

Uma das regiões mais bonitas da Régis fica no Paraná, quase na divisa com São Paulo.DSCN4465_640x480DSCN4467_640x480

Em dias de grande movimento é preciso ficar atento com os caminhões na subida da serra, lá na divisa do Paraná com São Paulo. Apesar de ser obrigatório trafegar na direita, os caminhões menos lentos querem passar dos mais lentos e às vezes caminhões ocupam as 3 faixas. Além disso, caminhoneiro quando vai ultrapassar não quer saber se tem carro ao lado, toca por cima. Ao ultrapassar um caminhão, acelere o máximo possível e fique o menos tempo que puder ao lado do caminhão. Outra coisa: na subida da serra há trechos com velocidade máxima de 60 km. Fique atento às placas indicando que há radares. O trecho da serra do cafezal em SP ainda é complicado, mesmo totalmente duplicado. Há motoristas que não sabem dirigir em estrada e andam em marcha lenta na pista da esquerda, sem dar passagem para quem quer ir mais rápido. É preciso muita atenção neste trecho de uns 30 km. Na chegada a São Paulo há 2 ou 3 pistas, mas muito movimento e radares. Trecho também requer atenção.  As fotos abaixo são antes da duplicação completada.DSCN5123_640x480DSCN5122_640x480

Para mostrar o que escrevi antes, é preciso tomar cuidado com os caminhões, que muitas vezes usam as 2 pistas, apesar das placas indicando que caminhão e ônibus tem que usar obrigatoriamente a pista da direita. E tem muito caminhoneiro bandido, mesmo.DSCN5129_640x480

Já a viagem de Curitiba para Porto Alegre, ou vice-versa, agora ficou mais fácil. Só use a BR-116 em caso de extrema necessidade. A BR-101 está duplicada. O maior entrave nesta estrada é o movimento mais intenso nos fins de semana de verão em SC. No mais a viagem é tranquila. No trecho da 376, na divisa de SC e PR, é preciso ter cuidado com os radares e o limite de velocidade, que cai bastante. Às vezes a PRF está com radar móvel. Então, não abuse da velocidade. A ponte de Laguna ajudou a melhorar um dos trechos mais complicados da 101. Foi inaugurada em julho de 2015.pontedelagunaSe o seu destino é a Serra Gaúcha, geralmente a melhor opção é a BR-116, apesar da pista simples e dos trechos de serra, em SC e no RS. Isso se você não tiver muita pressa. Perde-se muito tempo em alguns trechos de SC, como na região de Lages. Em Vacaria e Caxias, no RS, também a velocidade média cai bastante. A parte gaúcha tem um trecho bonito, com muitas curvas, o que requer calma do motorista. No entorno de Curitiba, também há bastante movimento. Quem for meio apressado ou tiver mais pressa de chegar à Serra Gaúcha, deve usar a BR-101. Neste caso,  é preciso subir a Rota do Sol em direção à São Francisco de Paula e Canela e Gramado. A estrada tem pista simples, mas na subida há uma faixa extra. Depois do túnel há um ponto de parada, com restaurante e um mirante com vista incrível. Lembro que a 101 está totalmente duplicada agora.101

Tanto a BR-101 como a BR-116 entre SP e RS tem pedágio, mas na Régis os valores são um pouco maior.  Na Régis são 6 pedágios a R$ 3 cada. Na 101 são 4 pedágios em SC, a R$ 2,30. No trecho gaúcho são 2 pedágios, sendo que apenas o de Gravataí cobra nos dois sentidos. O de Santo Antonio da Patrulha cobra apenas no sentido Porto Alegre – Osório e custa mais de uns R$ 6. O de Gravataí custa R$ 3,50. Além dos pedágios, fique atento ao movimento de caminhões, principalmente na BR-116 entre SP e Curitiba.

Na Régis, os principais pontos de parada para refeições ficam em SP, na região de Registro. Há 3 Graal na região, além de outros postos que oferecem boa refeição e banheiros limpos. Dois ficam no sentido Sul e 1 no sentido Norte. O combustível é mais barato no estado de São Paulo, especialmente o álcool. Em Curitiba, a gasolina é barata em alguns postos. Na Régis, depois de Registro em direção ao Paraná, os locais de parada vão se reduzindo, a não ser na região metropolitana de Curitiba, mas aí já é quase o fim da viagem. Na BR-101 em SC, há muitas opções de paradas porque são vários os balneários, especialmente na parte Norte, entre Florianópolis e Joinville. No RS, há bom locais de parada entre Torres e Osório. Depois de Osório até Porto Alegre não tem nenhum. Na BR-116 entre Curitiba e Porto Alegre é difícil encontrar um bom lugar para refeição, a não ser perto das cidades maiores, como Lages, Vacaria e Caxias do Sul. Quem curte fotografia, pode me seguir no Instagram. Também estou no Twitter. E se você for viajar, reserve hotel pelo Booking, no link a seguir: https://www.booking.com/s/11_6/ca7deaef.