Casarão do Morro de Cruzeiro do Sul volta a ser ocupado

No fim de 2021 foi reaberto o famoso Casarão do Morro de Cruzeiro do Sul, cidade que fica às margens do Rio Taquari, ao lado de Lajeado. Depois de quase 20 anos sem uso, o prédio passou a ser a nova sede da Secretaria Municipal de Educação.

O espaço está aberto ao público diariamente. Lá de cima do morro a vista do Rio Taquari é bem bonita, mesmo em dias de céu encoberto.

O casarão de Cruzeiro do Sul é histórico. Diziam que era até mal assombrado.

Hoje essa imagem ficou para trás. O local é um ponto turístico da cidade e ótimo para curtir um fim de tarde.

Na região do casarão do morro ficam alguns bons restaurantes de Cruzeiro do Sul. Confira mais fotos de minhas viagens por aí lá no meu perfil no Instagram.

Um mirante do Rio Taquari em Roca Sales

O Rio Taquari nasce na união dos rios Carrero e das Antas, lá na região de Bento com São Valentim, junto à RS-431. Depois o rio desce em direção ao Jacuí, passando por várias cidades. Uma delas é Roca Sales. No centro, tem um mirante para o rio.

É um espaço bem bonito e aproveitável.

Certamente é um ponto de encontro dos moradores locais. O por do sol deve ser bem agradável por lá.

O centro de Roca Sales é cheio de prédios antigos na área perto da igreja. Este sobrado fica em frente ao belvedere.

Roca Sales é vizinha de Encantado, Colinas e Arroio do Meio. As três cidades são banhadas pelo Taquari e há muitos pontos para banho. Confira mais fotos de minhas viagens por aí lá no meu perfil no Instagram.

Casarões e mais uma capela de madeira na Serra Gaúcha

No interior de Monte Belo do Sul, descendo um dos caminhos de terra em direção à RS-431, passei por uma casa bem antiga em meio aos vinhedos.

Embora a estrada seja bem estreita, parei o carro para uma rápida foto.

Depois de fazer um lanche em Santa Bárbara, interior de São Valentim, fui até a localidade de São Jerônimo, onde eu tinha descoberto um belo casarão de madeira. Na primeira vez que passei por lá o céu estava bem nublado. Desta vez tinha muito Sol.

Depois voltei para a 431 e atravessei a ponte sobre a nascente do Rio Taquari, na junção dos rios Carreiro e das Antas. Peguei uma estrada de chão à direita da ponte, para quem segue para Bento. Esta estrada vai até Santa Tereza pelas margens do Rio Taquari. No caminho, a pequena capela da Comunidade de São José.

Esta estrada de chão cruza uma linha ferroviária e passa ao lado de um viaduto ferroviário. Tenho certeza de que há túneis no meio da mata, já que há um grande morro por ali. Numa próxima viagem à região vou caminhar pelos trilhos e tentar descobrir algum túnel. Mais fotos de viagem estão no meu perfil no Instagram.

O Povoado Molinari de Vespasiano Correa

Na verdade esta pequena localidade fica entre os municípios de Vespasiano Correa, Muçum e São Valentim do Sul. Não sei realmente de qual deles é distrito. Cheguei por lá a partir de Muçum, por estrada de chão. Em Povoado Molinari, algumas casas e esta pequena igreja, que nem aparece no Google Maps.

Entrei no Povoado por curiosidade, já que estava na região e vi placas indicativas. Na verdade, eu tinha me perdido um pouco antes, apesar do GPS.

Era um dia com céu bem nublado, em pleno verão. Temperatura caindo, parecia inverno. Termômetro do carro chegou a marcar 18 graus.

Era um domingo e tinha chovido em Estrela, onde passei a noite de sábado. Em Estrela, uma das atrações turísticas é a antiga escadaria que leva ao Rio Taquari.

Lá também fica uma antiga fábrica da Polar.

Pois o domingo amanheceu nublado e chuvoso. Subi em direção a Colinas e depois segui para Roca Sales e Muçum, onde entrei na estrada de São Cristovão, que margeia o Rio Taquari. De vez em quando a chuva parava.

De Muçum subi para o Norte por estrada de chão e foi aí que me perdi e acabei conhecendo o Povoado Molinari. De lá, errei o caminho algumas vezes mas acabei no meu destino, a RS-431 e o distrito de Santa Bárbara, em São Valentim do Sul. O almoço foi lá.

Um lugar bel legal às margens da RS-431. O Armazem Madeira e Flor. Há várias placas indicativas na estrada.

Depois do almoço, foi hora de seguir viagem. E foi aí que fiz as primeiras descobertas daquele roteiro. Casarões de madeira perdidos no interior de São Valentim. Assunto para o próximo Post. Confira mais fotos de viagens no meu perfil no Instagram.

A Linha Alegre de Muçum

O município de Muçum tem um roteiro bem interessante chamado de Caminhos de Muçum. Uma parte passa pela estrada de São Cristovão e pela comunidade de Linha Alegre. No caminho, tem um bonito casarão de pedras.

A estrada passa ao lado do Rio Taquari.

Mais adiante, outra casa.

Meio escondida entre alguns prédios, fica esta capela bem antiga, que parece abandonada mas não é.

Como se vê na fachada, a capela é de 1873. Mais adiante, na localidade de Linha Alegre, tem a capela de Nossa Senhora do Caravaggio.

Durante todo o roteiro Caminhos de Muçum, há placas indicativas.

A capela fica logo depois de uma pequena ponte de ferro.

Bem na frente da igreja, o que chama a atenção, é um antigo sobrado de madeira em ruínas, que pode ter sido um antigo moinho.

Acredito que este casarão seja bem antigo.

Seguindo pela estrada de São Cristóvão, fui parar na região de Vespasiano Correa. Pelo caminho fotografei várias capelas, algumas que nem constavam no Google Maps. Tem assunto bastante para os próximos posts. Confira mais fotos de viagem no meu perfil no Instagram.