No mirante do Morro do Céu

Há duas maneiras de chegar a este mirante. Eu fiz o caminho mais longo, para variar. Depois de atravessar a ponte estreita sobre o Rio das Antas, a partir da RS-431, peguei uma estrada à direita onde uma placa indica Morro do Céu. É uma estrada de chão, estreita, mas em condições razoáveis. Acabei chegando ao mirante.

O mirante tem dois lados. Do lado direito é possível ver a barragem da usina 14 de julho.

Do outro lado tem-se uma vista do Rio.

Na verdade o mirante não fica no alto do Morro do Céu. Acho que este é apenas o nome da localidade, embora o morro fica lá.

Depois do mirante, em seguida tem a estrada que leva a Cotiporã, já com grande parte asfaltada. Subindo alguns quilômetros, tem o mirante da ferradura, de onde é possível avistar a usina de cima.

O Morro do Céu fica ao fundo, à direita. Embaixo, num espaço entre a água do rio das Antas, fica o local chamado de mirante do Morro do Céu. Do outro lado do Morro do Céu está a RS-431. O caminho mais longo circula o morro e acaba no mirante. Depois segue em frente e retoma a estrada para Cotiporã. A estrada de chão é boa e é possível circular com qualquer tipo de carro. Basta ter disposição. Confira mais fotos lá no meu perfil no Instagram.

O mirante Dal Castel de Monte Belo do Sul

O interior de Monte Belo do Sul revela muitas surpresas. Há muitas estradas asfaltadas, mas para chegar ao Mirante Dal Castel, parte da estrada é de chão e estreita. O mirante garante uma vista da RS-431 e do Vale do Rio das Antas, abaixo.

Há algumas placas indicando o caminho perto do centro de Monte Belo do Sul, mas depois as placas somem.

O mirante fica na localidade de Linha Alcântara Alta. Seguindo a estrada de chão em direção ao norte, é possível descer até a RS-431.

A estrada é bem estreita em alguns pontos.

Na 431, fica a Linha Alcântara Baixa, onde tem esta igreja.

Seguindo em direção ao Oeste, logo em seguida tem o acesso para Cotiporã, passando pela ponte baixa do Rio das Antas. Mais adiante tem a localidade de Santa Bárbara e seguindo mais alguns quilômetros fica a junção dos rios Carrero e das Antas, que formam o rio Taquari. Mais fotos de viagens estão disponíveis no Instagram.

O encontro do Rio da Prata com o Rio das Antas

Dois rios bastante conhecidos por quem costuma trafegar pela região da Serra Gaúcha. O Rio das Antas é maior. No município de Pinto Bandeira acontece o encontro das águas do Rio da Prata com o Rio das Antas. Esse encontro pode ser observado do alto de um morro, onde tem uma gruta religiosa.

O Rio da Prata está à esquerda, e deságua no das Antas, que segue seu rumo.

Ao lado desta vista tem a gruta religiosa de Pinto Bandeira.

As estradas da região são de terra e estão em bom estado.

Não muito longe da gruta tem outro ponto de observação do Rio das Antas. Um mirante com uma vista espetacular. Um lugar calmo e tranquilo para curtir a natureza.

Circulando de carro pelo interior de Pinto Bandeira, tem outros lugares com belas paisagens.

Pinto Bandeira é vizinho de Bento Gonçalves. A estrada principal que liga as duas cidades está com muitos buracos. Eu segui para Bento por um caminho alternativo, passando pelo rio Buriti. Assunto para o próximo Post. Confira mais fotos de viagens no meu perfil no Instagram.

Capelas e comunidades no interior de Cotiporã

Uma das boas coisas de viajar de carro pela Serra é pegar aquelas estradas de chão e descobrir para onde levam. Às vezes tem lugares bem interessantes, como a Cascata Esperança, do Post anterior. Desta vez segui uma estrada que ia até o Rio das Antas. No caminho passei pela capela Sagrado Coração de Jesus, com sua cruz de pedras.

Mais adiante, perto do rio das Antas, tem uma comunidade e a capela Nossa Senhora do Rosário, com sua bela torre de madeira.

Circulando pela região passei por algumas pontes sobre o Rio das Antas. Nesta, havia paredões de pedra nas margens do rio.

Depois subi em direção a Cotiporã. No caminho descobri esta belo casarão de madeira.

Parei o carro e pedi para o dono para fotografar.

Casarões de madeira de dois andares são mais difíceis de encontrar.

Em Cotiporã não encontrei restaurantes abertos para almoçar, já que era domingo. Tive de seguir para Veranópolis, então. Depois do almoço, continuei percorrendo estradas da região. Assunto para mais adiante. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.

A cascata Esperança de Cotiporã

Esta cascata fica escondida no meio de árvores junto a rochas no interior de Cotiporã. Cheguei na região a partir da RS-431, em Faria Lemos. A estrada que leva a Cotiporã, depois da ponte do Rio das Antas, está quase toda asfaltada. Já perto da cidade, entrei numa estrada de chão à direita.

No caminho tem uma pequena capela, a de Santa Luzia.

Depois é só seguir a estrada em direção ao Rio das Antas.

A cascata fica à direita, meio escondida.

Tem um lugar para estacionar o carro e caminhar pela área.

As estradas de chão na região estão em bom estado. É possível transitar com carro de passeio.

Além do Rio das Antas, a região é povoada de vinhedos.

Depois da cascata, segui em direção ao Rio das Antas, a caminho de uma comunidade no interior. Depois subi para Cotiporã por outro caminho e fiz novas descobertas. Assunto para o próximo Post. Confira fotos no meu perfil no Instagram.