Encontro do Rio Turvo com o Rio da Prata

O encontro desses dois rios acontece no limite dos municípios de Protásio Alves e Antônio Prado. Eu cheguei lá a partir de Protásio Alves. Por uma estrada de chão estreita mas boa para percorrer com qualquer tipo de veículo.

A ponte que se vê ao longe é a ferroviária. A ponte para carros é estreita e mais baixa.

O local é turístico.

Os rios são bem calmos na região.

Eu tinha saído de Protásio Alves e meu destino era Antônio Prado. Atravessei a ponte rodoviária e segui em frente pela estrada de chão. Tem alguns trechos com pedras, mas nada que prejudique o passeio.

Depois desse trecho de encontro com a estrada de ferro fica a RS-437, que eu já percorri antes, e é caminho para Antônio Prado. A estrada está boa, tem apenas muito pó.

A RS-437 começa na BR-470 em Vila Flores. Lá em cima, quase em Antônio Prado, ela encontra a RS-448, que leva a Nova Roma do Sul. A partir dessa confluência, o trecho está em obras de asfaltamento. Há bastante pedregulhos e muito, mas muito pó, mas vale a pena o passeio. Confira mais fotos de viagens lá no meu perfil no Instagram.

Pelo interior de Protásio Alves

A cidade de Protásio Alves fica ao lado de Nova Prata. É lá que está a famosa estação de águas termais Caldas do Prata, que muita gente acredita ficar em Nova Prata. No centro de Protásio Alves tem 2 igrejas, uma mais antiga e outra mais nova. São atrações turísticas do lugar.

Do centro, peguei uma estrada asfaltada que vai em direção ao Sul, para o Rio da Prata.

Mas não se entusiasmem muito porque, logo depois, o asfalto acaba.

Meu destino era a capela São José, que fica às margens do rio. No caminho, muitos locais para estacionar o carro e registrar a paisagem.

Um pouco antes de chegar à capela, a estrada emparelha com o Rio. De novo é preciso estacionar e registrar o momento.

Neste local tem umas churrasqueiras improvisadas. Sinal que os moradores da região aproveitam para curtir a natureza.

Logo em seguida tem uma ponte estreita para atravessar o Rio da Prata.

Do outro lado fica a pequena capela de São José.

É mais uma das muitas capelas espalhadas pelo interior do RS. Num lugar bem tranquilo, junto ao rio. Mais adiante tem um lugar bem bonito, o encontro das águas dos rios Turvo e da Prata. Tema para o próximo Post. Confira mais fotos de viagens lá no meu perfil no Instagram.

O encontro do Rio da Prata com o Rio das Antas

Dois rios bastante conhecidos por quem costuma trafegar pela região da Serra Gaúcha. O Rio das Antas é maior. No município de Pinto Bandeira acontece o encontro das águas do Rio da Prata com o Rio das Antas. Esse encontro pode ser observado do alto de um morro, onde tem uma gruta religiosa.

O Rio da Prata está à esquerda, e deságua no das Antas, que segue seu rumo.

Ao lado desta vista tem a gruta religiosa de Pinto Bandeira.

As estradas da região são de terra e estão em bom estado.

Não muito longe da gruta tem outro ponto de observação do Rio das Antas. Um mirante com uma vista espetacular. Um lugar calmo e tranquilo para curtir a natureza.

Circulando de carro pelo interior de Pinto Bandeira, tem outros lugares com belas paisagens.

Pinto Bandeira é vizinho de Bento Gonçalves. A estrada principal que liga as duas cidades está com muitos buracos. Eu segui para Bento por um caminho alternativo, passando pelo rio Buriti. Assunto para o próximo Post. Confira mais fotos de viagens no meu perfil no Instagram.

Do Rio da Prata a Antonio Prado

Para chegar a Antonio Prado passando pelo Rio da Prata, peguei uma estrada de chão em Vila Flores, a RS-437. Depois da ponte ferroviária mostrada no Post anterior, tem a barragem da usina PCH da ilha.

A estrada contorna o lago e passa sob a ponte ferroviária.

A usina em si não é possível ver da estrada. Tem apenas um trecho, ainda em Flores da Cunha, onde é possível ver a barragem entre árvores. Depois, a vista é só para o lago.

Na margem da estrada e do lago tem uma igreja de madeira. É a capela São Roque.

Em seguida tem um mirante, mas é apenas para ver o lago.

Eu tentei chegar perto da usina, mas desisti. Não sei se tem uma vista da barragem lá. No caminho da usina, mais uma capela. A de Nossa Senhora da Saúde.

Depois foi só subir para Antonio Prado. Às margens da estrada de chão, alguns casarões antigos chamam a atenção.

A RS-437 termina na 448. À direita o caminho leva a Nova Roma do Sul. À esquerda, Antonio Prado. As cascatas da usina ficam por lá. A foto abaixo é de uma delas.

Em Antonio Prado parei para o almoço e depois desci a RS-122. No caminho, mais locais para fotografar, sempre em estradas de chão e rotas alternativas. Tema para o próximo Post. Confira mais fotos de viagens no meu perfil no Instagram.

Estrada para as termas de Nova Prata ganha asfalto

Vai melhorar o acesso ao parque de águas termais de Nova Prata, que fica às margens do Rio da Prata. A parte da estrada que tem calçamento está sendo asfaltada. Com isso, todo o acesso terá asfalto. Agora fica faltando apenas construir um hotel. Quem chega no Parque Caldas do Prata tem a oportunidade de ver a Cascata da Usina do mirante.

img_20190914_114709434_hdr2375555156269020666.jpg

Dentro do parque há trilhas. A mais curta leva até bem perto da cascata.

img_20190914_1202160551240282331327273931.jpg

Essas rochas indicam a separação dos continentes, há milhões de anos.

img_20190914_1203249097100787934889475072.jpg

Outra trilha começa depois da ponte pênsil e leva até a parte de cima da cascata, passando por um moinho.

img_20190914_131345518_hdr2960190310390848451.jpg

img_20190914_131810240_hdr4838379250049975085.jpg

img_20190914_132435147_hdr3826617381163912714.jpg

img_20190914_131921054_hdr1834814201362470442.jpg

Tudo isso bem ao lado do Rio da Prata.

img_20190914_115837005_hdr3781797641712490107.jpg

E, claro, tem as piscinas. Internas e externas, com águas quentes.

img_20190914_121612076_hdr3141421454834794340.jpg

O parque é a principal atração turística da região. Confira também meu perfil lá no Instagram, com mais fotos.