Pelos arredores de Santa Cruz do Sul

No último fim de semana de Outono, fiz um passeio até Santa Cruz do Sul. Dias nublados e de muito frio. Cheguei na cidade pelo norte, passando na região da localidade de Boa Vista.

Na Linha Sete, nesta casa funciona uma Cabanha.

Fiquei no Hotel Charrua, bem no centro de Santa Cruz do Sul.

Na segunda-feira já era Inverno e hora de voltar para casa. Saí em direção a Monte Alverne.

Viagem em meio a muita neblina.

Depois peguei uma estrada de chão em direção a Venâncio Aires. No caminho, esta pequena igreja azul.

Em Venâncio segui para Porto Alegre pela RS 453 até a BR-386. Normalmente venho por Passo do Sobrado e Vale Verde até a BR_290, mas desta vez mudei o caminho. A RS-453 está muito boa, com asfalto novo. E não tem pedágio. Pagamento, apenas na BR_386 em Montenegro. Confira fotos deste e de outros passeios no meu perfil no Instagram.

Comunidade de São Jerônimo de São Valentim do Sul

Esta localidade fica perto do Distrito de Santa Bárbara, que está localizado às margens da RS-431. Na localidade, tem uma pequena igreja.

Fica bem perto do Rio Carreiro. Logo depois da igreja, tem o casarão mostrado no Post anterior.

Em seguida tem uma ponte.

A ponte é sobre um riacho que deságua no Rio Carreiro.

A estrada passa ao lado de um morro com pedras. Ao longe é possível avistar uma cascata.

O céu nublado e a falta de sol prejudicaram a foto. Depois de passar pelo distrito de São Jerônimo, subi o morro em direção à RS-129 em Dois Lajeados, tudo por estrada de chão, passando por outras comunidades da região. Mais fotos de viagens estão no meu perfil no Instagram.

Na localidade de Arroio Canoas, em Barão

O acesso para este distrito fica na BR-470, bem no centro de Barão. Eu cheguei pelo outro lado. Antes, tinha passado rapidamente pela região da Cascata da Serraria, em São Pedro da Serra.

Aí comecei a circular por estradas de chão em direção ao norte. Meu destino era Barão e Carlos Barbosa. Acabei descobrindo um belo casarão antigo na localidade de Arroio Canoas.

A casa de 1927 fica bem num cruzamento.

Entrando à direita em direção a Barão, tem uma igreja, a uns 50 metros. É a capela de Nossa Senhora dos Navegantes.

Por coincidência, este passeio foi feito em 2 de fevereiro, dia de Navegantes… Mas acho que não era feriado em Barão. Em Carlos Barbosa, onde passei a noite, sei que não era. Este foi mais um dos roteiros que fiz pelo interior do Interior. Ainda tem mais pela frente. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.

De Santa Tereza a Roca Sales

O que estas duas cidades tem em comum? O Rio Taquari. O caminho é de estrada de chão, passando por algumas localidades do interior. A primeira delas é o Campinho, bem próximo de Santa Tereza.

Às margens do Rio Taquari, a localidade tem uma igreja e poucas casas.

A estrada de chão não é ruim. Apenas alguns trechos com alguns pedregulhos. Um pouco mais adiante no caminho tem outra comunidade, de São José Violanda.

Além da pequena igreja, o que mais chama a atenção é uma casa bem antiga.

Os moradores dessas pequenas localidades de interior devem sofrer muito com o pó.

São poucas as que tem algum calçamento. A maioria fica na beira de estrada de chão mesmo. Eu esperava mais desse roteiro, mas tinha bem pouca coisa para conhecer e fotografar. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.

Capelas e casarões no caminho de Antônio Prado a Garibaldi

Um pouco mais do roteiro que fiz em outubro do ano passado pelas comunidades da Serra. Saindo de Antônio Prado, a torre de uma igreja chamou minha atenção quando descia a RS-122. Fica na comunidade de São João Batista, à direita de quem desce.

A igreja fica bem perto da rodovia.

Quem desce a 122 em direção a Flores da Cunha pode fugir do pedágio, entrando na comunidade de São Vitor, à direita. Fica poucos km antes da praça de pedágio. A estrada municipal é asfaltada e é possível voltar à RS-122 depois do pedágio. Quem não tiver muita pressa pode economizar… Bem, depois de visitar a comunidade de São João Batista peguei o desvio do pedágio e fui até Otávio Rocha, distrito de Flores da Cunha. Lá tem uma capelinha de madeira que também se chama São João Batista.

Na verdade, é mais conhecido como capitel. Passando por Otávio Rocha segui em direção a Santa Justina. No casarão dos Veronese, em vez de entrar à direita, segui em frente. Mais adiante tem outra comunidade com um belo casarão de madeira.

Quase no limite com Caxias, outro casarão.

Acho que o lugar é conhecido como Linha 80. Bem, depois de passar a noite em Caxias, no dia seguinte continuei o roteiro, passando pelo Desvio Blauth, em Farroupilha, e pela Vila Rica.

Outra capela na região é a de São Miguel, acho que já em Garibaldi.

Aproveitei para almoçar no centro de Garibaldi e depois seguir em direção a Coronel Pillar por uma estrada municipal. Na saída de Garibaldi, um antigo moinho.

No caminho, de estrada com asfalto, encontrei mais casarões.

Esta estrada que leva a Coronel Pillar passa pelo distrito de Marcorama. A estrada tem um pequeno trecho sem asfalto, mas em ótimo estado. No próximo post vou mostrar um belíssimo casarão de pedra que fica meio escondido em Coronel Pillar. Confira mais fotos de viagens lá no Instagram.