Capelas e casarões no caminho de Antônio Prado a Garibaldi

Um pouco mais do roteiro que fiz em outubro do ano passado pelas comunidades da Serra. Saindo de Antônio Prado, a torre de uma igreja chamou minha atenção quando descia a RS-122. Fica na comunidade de São João Batista, à direita de quem desce.

A igreja fica bem perto da rodovia.

Quem desce a 122 em direção a Flores da Cunha pode fugir do pedágio, entrando na comunidade de São Vitor, à direita. Fica poucos km antes da praça de pedágio. A estrada municipal é asfaltada e é possível voltar à RS-122 depois do pedágio. Quem não tiver muita pressa pode economizar… Bem, depois de visitar a comunidade de São João Batista peguei o desvio do pedágio e fui até Otávio Rocha, distrito de Flores da Cunha. Lá tem uma capelinha de madeira que também se chama São João Batista.

Na verdade, é mais conhecido como capitel. Passando por Otávio Rocha segui em direção a Santa Justina. No casarão dos Veronese, em vez de entrar à direita, segui em frente. Mais adiante tem outra comunidade com um belo casarão de madeira.

Quase no limite com Caxias, outro casarão.

Acho que o lugar é conhecido como Linha 80. Bem, depois de passar a noite em Caxias, no dia seguinte continuei o roteiro, passando pelo Desvio Blauth, em Farroupilha, e pela Vila Rica.

Outra capela na região é a de São Miguel, acho que já em Garibaldi.

Aproveitei para almoçar no centro de Garibaldi e depois seguir em direção a Coronel Pillar por uma estrada municipal. Na saída de Garibaldi, um antigo moinho.

No caminho, de estrada com asfalto, encontrei mais casarões.

Esta estrada que leva a Coronel Pillar passa pelo distrito de Marcorama. A estrada tem um pequeno trecho sem asfalto, mas em ótimo estado. No próximo post vou mostrar um belíssimo casarão de pedra que fica meio escondido em Coronel Pillar. Confira mais fotos de viagens lá no Instagram.