Um pouco do roteiro religioso de Nova Prata

O italiano é um povo muito religioso. A região gaúcha de Nova Prata foi colonizada por italianos, principalmente. Isso pode ser observado num rápido passeio pelo interior. Aliás, o município tem entre suas atrações turísticas um roteiro religioso bem interessante. A primeira capela de madeira desse Post é a de São Miguel, que fica às margens do Rio da Prata, no limite com o município de Protásio Alves.

Estive lá numa manhã de domingo e a capela estava aberta.

Foi possível conhecer o interior.

A capela é da década de 30 e foi inaugurada provavelmente em 1935. Como eu disse, fica bem perto do Rio da Prata, numa das comunidades rurais de Nova Prata.

Neste dia, acabei passeando também pelo interior de Protásio Alves, que mostrarei em outro Post. No meu retorno a Nova Prata, atravessando novamente o rio, descobri esse capitel. O de São José.

Voltando a Nova Prata, fui conhecer São Brás e sua capela de madeira. Bem bonita.

A capela é mais antiga, de 1905, mas na década de 30 foi transferida de comunidade, ficando no lugar onde está até hoje.

A capela de São Brás fica ao norte de Nova Prata.

Não muito longe tem um Igreja Luterana.

Esta foi construída em 1892 por imigrantes alemães.

Quem costuma passear por comunidades alemães deve notar que geralmente tem uma igreja católica e outra luterana.

O roteiro religioso de Nova Prata tem outras capelas e igrejas. Algumas ainda não conheço, mas não vai faltar oportunidade para isso. Confira mais fotos de minhas viagens lá no Instagram.

A capela São Sebastião de David Canabarro

Este é o terceiro post de uma série com capelas de madeira que conheci em janeiro no Norte do RS. Esta capela fica na chegada a David Canabarro, bem às margens da RS-129.

A capela estava aberta, então foi possível fotografar o interior.

David Canabarro é um município vizinho de Vanini e São Domingos do Sul.

Ao lado da capela tem um prédio abandonado onde parece que funcionou uma escola.

Ainda em David Canabarro, passei pela capela de São Brás.

E também pela comunidade de Nossa Senhora de Fátima.

A capela mais bonita, mesmo, é a de São Sebastião. As outras são bem comuns. A segunda parte do roteiro foi por estrada de chão. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.