Uma capela de madeira e uma de pedra em Antônio Prado

Uma região de acesso meio complicado, bem nas margens do Rio das Antas, do lado de Antônio Prado. A poucos quilômetros da RS-122 fica esta bela capela de madeira, a capela de Nossa Senhora das Graças.

Este trecho da estrada está bom, apesar de ser de chão.

Da capela avista-se o morro onde fica o Mirante Pagno, do lado de Flores da Cunha, mostrado no Post anterior.

Uns 5 km depois da capela de madeira, fica uma pequena igreja de pedra, de Santo Antônio, que foi cenário do filme O Quatrilho. A igreja aparece bem no começo do filme, apenas alguns segundos. A estrada que leva até lá é bem estreita, e ruim. Tem que atravessar dois riachos, que em época de muita chuva deve ser bem complicado. Estive lá em agosto do ano passado, tempos de estiagem.

Valeu a pena a aventura, porque a capela é bem bonita.

Fica numa área bem isolada.

O melhor caminho para chegar na igreja é pela Linha 30 em Antônio Prado. A estrada é melhor e pega apenas o segundo riacho. Se não for possível atravessar o riacho de carro, dá para ir a pé. A igreja fica a uns 500 metros adiante. Na Linha 30 tem a capela de Nossa Senhora do Caravággio.

Antônio Prado é aquela cidade italiana com casarões históricos no centro, também cenário do filme O Quatrilho.

Neste roteiro, segui de Antônio Prado para Nova Roma do Sul, cuja estrada que liga as duas cidades está em obras intermináveis. O asfalto não chega nunca. De Nova Roma desci até o Rio das Antas, que atravessei de balsa.

Depois é só seguir para Nova Pádua e cidades vizinhas. Nada como circular pelas estradas de chão da Serra. A cada curva, sempre tem uma surpresa. Confira mais fotos de viagem lá no meu perfil no Instagram.

Uma capela de madeira na Linha Jansen, de Farroupilha

Esta região da Vila Jansen entre Farroupilha, Nova Roma do Sul e Pinto Bandeira, é muito bonita. Em agosto, quando passei por lá, os pessegueiros estavam florescendo.

Fui conhecer a capela Santo Antônio, que é de madeira e bem antiga.

A capela é bem pequena e simples.

Existem outras comunidades pela região. Uma delas tem a capela São Luiz.

A região da Vila Jansen tem capelas, grutas, vinhedos e plantações de frutas. Bem variado. Tem estradas com asfalto e estradas sem asfalto, mas boas, sendo possível transitar com qualquer tipo de carro. Confira mais fotos de minhas viagens lá no Instagram.

Capela de madeira no interior de São Marcos

Esta bela capela de madeira fica ao norte do município de São Marcos, com acesso pela BR-116. Tem alguns quilômetros de estrada de chão em bom estado, mas vale a pena conhecer.

A estrada de acesso é do lado direito da BR, para quem segue para Vacaria.

Ao lado da capela tem um campanário, também de madeira. A capela é de Nossa Senhora do Rosário.

Um pouco mais para cima na BR-116, mas do lado esquerdo, tem uma pequena capela, ao lado de um casarão amarelo que parece abandonado. A igreja fica meio escondida de quem passa pela rodovia.

É preciso ter cuidado ao manobrar o carro para entrar na estreita estrada ao lado do casarão. A BR é bem movimentada em alguns momentos.

Percorrendo o interior de São Marcos, tem muita coisa para conhecer e fotografar. No próximo Post uma bela igreja de pedra que conheci em agosto. Confira mais fotos de minhas viagens lá no Instagram.

A capela de madeira da Linha Roso, em Vila Maria

Uma das capelas mais bonitas que conheci pelo interior do Estado. Esta fica na Linha Roso, a 13 km do centro de Vila Maria. Acesso por estrada de chão.

A capela foi construída em 1911 pelos imigrantes italianos.

Em 1996 foi tombada pelo patrimônio histórico municipal e restaurada.

A porta tem uns detalhes interessantes.

Na estrada, bem na frente da capela de madeira, tem um capitel.

Todas as comunidades que foram povoadas por imigrantes italianos tem uma capela. Em alguns casos a capela ainda é de madeira. Em outros, a antiga capela foi substituída por uma mais nova, de tijolos. Nesse roteiro de 5 dias que fiz pelo RS em fevereiro, descobri outras capelas de madeira. Confira o resultado de minhas viagens lá no Instagram.

Na Comunidade do Arranque, em Serafina Correa

Esta comunidade fica em Serafina mas lá para os lados de Casca. Perto do distrito de Silva Jardim. Para chegar por lá, tem que enfrentar muita estrada de chão. No Arranque tem a pequena capela de Santo Antônio.

Ao lado, o cemitério.

Também ao lado da capela descobri uma casa de madeira que tem mais de 100 anos, segundo o proprietário. Ele mora agora numa casa de alvenaria, mas manteve a casa antiga, que é vista ao longe em meio ao milharal.

Antes de passar pela comunidade do Arranque eu andei pela capela São Roque da Linha 17, em Casca.

Passei também pela Linha 16, onde fica a capela de Nossa senhora de Caravággio.

Nem é preciso dizer que todo o roteiro é feito em estrada de chão. Então é preciso ter muita vontade de circular por esses lugares remotos do nosso Estado.

Esses passeios valem a pena, porque a gente aprende como vivem as pessoas que moram no interior do Interior. No geral, propriedades rurais e muitas capelas e igrejas. Eu continuo circulando pelo RS e conhecendo novos lugares. O resultado disso está aqui no Site ou no meu perfil no Instagram.