Uma capela de madeira e uma de pedra em Antônio Prado

Uma região de acesso meio complicado, bem nas margens do Rio das Antas, do lado de Antônio Prado. A poucos quilômetros da RS-122 fica esta bela capela de madeira, a capela de Nossa Senhora das Graças.

Este trecho da estrada está bom, apesar de ser de chão.

Da capela avista-se o morro onde fica o Mirante Pagno, do lado de Flores da Cunha, mostrado no Post anterior.

Uns 5 km depois da capela de madeira, fica uma pequena igreja de pedra, de Santo Antônio, que foi cenário do filme O Quatrilho. A igreja aparece bem no começo do filme, apenas alguns segundos. A estrada que leva até lá é bem estreita, e ruim. Tem que atravessar dois riachos, que em época de muita chuva deve ser bem complicado. Estive lá em agosto do ano passado, tempos de estiagem.

Valeu a pena a aventura, porque a capela é bem bonita.

Fica numa área bem isolada.

O melhor caminho para chegar na igreja é pela Linha 30 em Antônio Prado. A estrada é melhor e pega apenas o segundo riacho. Se não for possível atravessar o riacho de carro, dá para ir a pé. A igreja fica a uns 500 metros adiante. Na Linha 30 tem a capela de Nossa Senhora do Caravággio.

Antônio Prado é aquela cidade italiana com casarões históricos no centro, também cenário do filme O Quatrilho.

Neste roteiro, segui de Antônio Prado para Nova Roma do Sul, cuja estrada que liga as duas cidades está em obras intermináveis. O asfalto não chega nunca. De Nova Roma desci até o Rio das Antas, que atravessei de balsa.

Depois é só seguir para Nova Pádua e cidades vizinhas. Nada como circular pelas estradas de chão da Serra. A cada curva, sempre tem uma surpresa. Confira mais fotos de viagem lá no meu perfil no Instagram.

Capela de madeira no interior de São Marcos

Esta bela capela de madeira fica ao norte do município de São Marcos, com acesso pela BR-116. Tem alguns quilômetros de estrada de chão em bom estado, mas vale a pena conhecer.

A estrada de acesso é do lado direito da BR, para quem segue para Vacaria.

Ao lado da capela tem um campanário, também de madeira. A capela é de Nossa Senhora do Rosário.

Um pouco mais para cima na BR-116, mas do lado esquerdo, tem uma pequena capela, ao lado de um casarão amarelo que parece abandonado. A igreja fica meio escondida de quem passa pela rodovia.

É preciso ter cuidado ao manobrar o carro para entrar na estreita estrada ao lado do casarão. A BR é bem movimentada em alguns momentos.

Percorrendo o interior de São Marcos, tem muita coisa para conhecer e fotografar. No próximo Post uma bela igreja de pedra que conheci em agosto. Confira mais fotos de minhas viagens lá no Instagram.

Capelas de madeira pelo Interior de Vista Alegre do Prata

Esta região do RS tem muitas capelas de madeira. Muita estrada de chão e muitas comunidades para visitar. Saindo do centro de Guaporé em direção ao autódromo, tem uma estrada asfaltada à esquerda que leva a Vista Alegre do Prata. Logo depois da ponte sobre o Rio Carreiro, peguei uma estrada de chão para visitar a área rural de Vista Alegre do Prata. Na comunidade de Santo Anjo, uma pequena capela de madeira se destaca.

Seguindo para o Norte, a estrada tem trechos asfaltados.

E a comunidade de Nossa Senhora da Pompéia.

Procurando essas capelas, acabei entrando antes numa propriedade particular onde uma bonita casa de madeira chamou minha atenção.

O filho da dona da casa apareceu e nos disse que a casa antiga será demolida para dar lugar a uma mais nova.

O garoto de 15 anos, chamado Mateus, nos indicou outros lugares para conhecer na região. Depois de passar pelas duas capelas mostradas acima, chegamos ao centro de Vista Alegre do Prata.

De Vista Alegre do Prata pegamos uma estrada de chão em direção a Nova Prata. No caminho, passamos por outra capela de madeira, a de Santo Estanislau Bispo, já em Nova Prata.

Nova Prata tem um roteiro religioso com várias capelas de madeira, que serão mostradas em outros posts. Confira mais fotos de viagem no meu perfil no Instagram.

De Nova Petrópolis a Vila Oliva sem passar por Caxias

Um caminho direto de Nova Petrópolis até Vila Oliva, onde deve ser construído o novo aeroporto da Serra. Claro que a maior parte é por estrada de chão, por isso é recomendado apenas para quem curte passear pelo interior do Interior. Naquele roteiro, feito em abril, passei a noite na ótima Pousada da Neve, em Nova Petrópolis.

A pousada não é barata. Uma diária para casal não sai por menos de 200 reais, mas vale a pena conhecer.

De Nova Petrópolis, peguei a RS-235 em direção a Gramado. Antes do pedágio, entrei à esquerda numa estrada de chão para a localidade de Nossa Senhora do Pedancino. A estrada é boa do lado de Nova Petrópolis. Depois do Rio Caí, a subida tem trechos estreitos, mas é possível trafegar bem. No caminho tem a capela de São Paulo, de pedra, que estava bem bonita com as árvores coloridas no Outono.

Chegando perto de Santa Lúcia do Piaí, tem uma capela de madeira, bem simples.

Em frente a esta capela peguei a estrada à direita, para Vila Oliva. Está em obras, então é preciso ter cuidado com trechos com pedras. No caminho passei pela bonita capela de Nossa Senhora do Caravággio.

A estrada tem alguns trechos com asfalto pronto. Outros trechos em obras. Passando por Vila Oliva, na saída para Fazenda Souza, tem uma pequena capela, a de Nossa Senhora Aparecida.

Ao lado da capela, uma antiga escola municipal, que deve estar desativada.

São as peculiaridades das comunidades do interior. De Vila Oliva até Fazenda Souza e a Rota do Sol tem asfalto. É possível fazer uma viagem de Vila Oliva a Gramado, passando por uma histórica ponte de ferro, mas é estrada de chão. Um passeio turístico que poucos conhecem. Um pouco da Ponte do Raposo pode ser conhecido neste POST DO SITE. E para conhecer outros roteiros que fiz pelo interior, visite meu perfil no Instagram.

Casarões e mais uma capela de madeira na Serra Gaúcha

No interior de Monte Belo do Sul, descendo um dos caminhos de terra em direção à RS-431, passei por uma casa bem antiga em meio aos vinhedos.

Embora a estrada seja bem estreita, parei o carro para uma rápida foto.

Depois de fazer um lanche em Santa Bárbara, interior de São Valentim, fui até a localidade de São Jerônimo, onde eu tinha descoberto um belo casarão de madeira. Na primeira vez que passei por lá o céu estava bem nublado. Desta vez tinha muito Sol.

Depois voltei para a 431 e atravessei a ponte sobre a nascente do Rio Taquari, na junção dos rios Carreiro e das Antas. Peguei uma estrada de chão à direita da ponte, para quem segue para Bento. Esta estrada vai até Santa Tereza pelas margens do Rio Taquari. No caminho, a pequena capela da Comunidade de São José.

Esta estrada de chão cruza uma linha ferroviária e passa ao lado de um viaduto ferroviário. Tenho certeza de que há túneis no meio da mata, já que há um grande morro por ali. Numa próxima viagem à região vou caminhar pelos trilhos e tentar descobrir algum túnel. Mais fotos de viagem estão no meu perfil no Instagram.