Itaimbezinho: Na trilha do Cotovelo

Há duas trilhas para se fazer no Itaimbezinho. A maior delas é a do Cotovelo. São 6 km de caminhada, ida e volta. Caminhando num bom ritmo dá para fazer em uma hora e meia, já contando o tempo de parada na borda do cânion. A trilha é no meio da mata, com alguns lugares bonitos.

img_20191225_1246206471762239055130653863.jpg

img_20191225_1314014776947628177978356347.jpg

Há mirantes na borda do cânion.

img_20191225_1320479659086338196954631033.jpg

Os paredões de pedra são impressionantes.

img_20191225_1320181393535545261517364048.jpg

img_20191225_1317227906687696506154030398.jpg

Mais uma vez a recomendação é levar bastante água.

img_20191225_1328273793747451071721494237.jpg

img_20191225_1330039117145897044371960778.jpg

Respeite os sinais e não chegue muito próximo da borda do cânion.

img_20191225_1336193635106768919057588866.jpg

img_20191225_1356515807913781450232832106.jpg

Na volta faça a segunda trilha no parque, que é bem próximo do prédio central.

img_20191225_1525567162468871812638096309.jpg

img_20191225_1526209505658439393533288962.jpg

Pela manhã é mais recomendável nos meses mais quentes, por causa da temperatura. No inverno o tempo pode mudar muito rápido e o cânion ficar coberto por uma neblina. O melhor é se informar antes de ir. A estrada para o parque é de chão mas é possível encarar de carro. Confira mais fotos no Instagram.

No cânion Fortaleza de Cambará do Sul

Para fazer este passeio eu indico contratar uma empresa especializada. Evite colocar seu carro na estrada para o cânion. Parte tem asfalto e parte chão, mas com muitas pedras e alto risco de rasgar um pneu. Um passeio com guia é mais seguro e tranquilo e você vai ouvindo explicações sobre o lugar. Eu contratei o passeio no hotel mesmo e tudo saiu tranquilo.

img_20191226_0917403182187701462758295458.jpg

Depois que se chega no parque, há uma caminhada de uns 1.700 metros morro acima, debaixo de sol. Leve muita água.

img_20191226_093221605307808599050569105.jpg

Chegando no mirante, vê-se que o passeio compensa.

img_20191226_1001332356641335020325642552.jpg

img_20191226_0933154496237507726127654889.jpg

É possível chegar bem perto da borda do cânion, então é preciso tomar cuidado.

img_20191226_1004101098317476253920077918.jpg

A vista é impressionante.

img_20191226_101047583852727867448396605.jpg

img_20191226_1012504679104501517268037665.jpg

img_20191226_1023289505685430699254583485.jpg

A volta ao estacionamento é mais fácil, porque é descida. Depois seguimos para a segunda parte do passeio. Até a Cascata do tigre preto e a chamada pedra do segredo. Neste passeio melhor é em época de pouca chuva, porque tem que atravessar um riacho. Leve um tênis de reserva.

img_20191226_1108087187815532611387243687.jpg

É possível chegar bem próximo da cascata.

img_20191226_1120453221186081282180848769.jpg

img_20191226_1110238295759569852510572958.jpg

Todo o caminho é perto da borda do cânion, então há muitos lugares para ver.

img_20191226_1128371246406834446626198628.jpg

A tal pedra do segredo que achei meio decepcionante.

img_20191226_1135238116806624198758616729.jpg

São três pedras empilhadas que vê-se de longe. Não tem muita graça, mas a paisagem em volta já vale o passeio até lá. Um passeio ao cânion Fortaleza custa em torno de 75 a 80 reais por pessoa, dependendo da empresa contratada. Confira mais fotos de viagens no Instagram.

 

Onde tomar um café no Itambezinho

Milhares de pessoas visitam todos os meses o Itaimbezinho, mas certamente muitos deixam de conhecer este velho casarão que fica por lá. Há duas trilhas para fazer na visita ao parque. O casarão fica na trilha mais curta, que leva até as cachoeiras. Há placas indicando o caminho e em menos de 10 minutos se chega ao destino.

Uma senhora simpática que mora lá recebe os visitantes. Há vários tipos de lanches.

Depois de tomar um bom café, o bom é voltar à trilha e curtir o cânion.

A estrada de chão que leva ao parque está em estado regular. Tem uns pedregulhos, mas é possível ir de carro.

Na parte da tarde a posição do Sol é melhor para fotografar as cachoeiras.

No mais, Cambará do Sul continua na mesma. Uma cidade bem tranquila. Há mais lugares para fazer refeições, especialmente no centro.

Outro ponto de visitação bem procurado na cidade é o cânion Fortaleza, mas este, na última vez em que fui, há alguns anos, a estrada estava bem ruim. Melhor mesmo é contratar um passeio nas muitas agências da cidade e ir tranquilo. Confira também meu perfil no Instagram. Ou no Twitter.

Na região de Cambará do Sul

Depois de muitos anos voltei à Cambará do Sul. A cidade não mudou muito, continua praticamente a mesma. É a rua principal e quase mais nada. Tem gente que gosta assim, mas eu acho que um pouco de progresso não faz mal.

DSCN6583_640x480

DSCN6584_640x480

Tirando o Flat Cambará, a maioria dos demais hotéis e pousadas é bem simples. Falta mais hotel e mais opção de gastronomia, embora tenha melhorado um pouco desde a última vez que lá estive.

DSCN6588_640x480

DSCN6589_640x480

DSCN6590_640x480

A foto abaixo foi feita a uma quadra da rua principal. Nota-se ares rurais em pleno centro da cidade.

DSCN6591_640x480

Cheguei a Cambará pela Rota do Sol a partir de Caxias. A estrada está boa, tem trechos com asfalto novo. O dia estava com céu encoberto e bastante frio.

DSCN6581_640x480

Em Cambará, a estrada para o Itaimbezinho continua muito ruim. Não aconselho ir de carro próprio. Não vale a pena. Abaixo uma foto da região.

DSCN6593_640x480

Como já postei antes sobre o Itaimbezinho, apesar da estrada ruim, é um passeio imperdível, mesmo em dias sem Sol.

DSCN6598_640x480

Depois de Cambará desci para Praia Grande por estrada de chão, que está horrível. Me siga também no Instagram e acompanhe mais fotos de viagens.

Cânion espetacular. Estrada, de matar…

Não aconselho ir de carro ao Itaimbezinho. A estrada está muito ruim. Melhor pagar um táxi ou um serviço de passeio. São uns 15 km, muitos de pura pedra. Uma pena que nunca asfaltaram, ia incrementar o turismo na região. Peguei o Itaimbezinho numa manhã de neblina, mas mesmo assim estava bonito.

DSCN6596_640x480

DSCN6606_640x480

O parque está com ares de abandono. Li há algum tempo que praticamente funciona porque os funcionários se interessam em manter o local. Falta dinheiro do governo. Não há cobrança de ingresso, mas poderia ter, e o dinheiro ser aproveitado no parque. Enfim, coisas do Brasil e do RS.

DSCN6608_640x480

Fiz apenas a trilha menor. A do Cotovelo, que é maior, não fiz porque de vez em quando caía uma chuva bem fina. Fica para outra vez.

DSCN6610_640x480

DSCN6611_640x480

Sobre Cambará. Postei no Face que a cidade não tinha mudado e alguém comentou que mudou sim. Bem, se mudou, não vi grande coisa. É praticamente a mesma que vi há uns 5 anos. Tem uma rua asfaltada e a maioria nem calçamento tem. Falta mais estrutura de gastronomia, enfim, falta tudo. Tem gente que gosta de Cambará assim, eu prefiro um pouco mais de movimento. Pousadas e hostel tem bastante. Depois de Itaimbezinho, desci a estrada até Praia Grande, em SC. Estrada horrorosa. Não recomendo. Muitas pedras. Trechos quase intransitáveis. Um desleixo total. Parece que jogaram pedregulhos na estrada e deixaram assim.

DSCN6613_640x480

DSCN6616_640x480

Em alguns pontos é preciso trafegar a menos de 10 km/h para não correr o risco de ter um pneu furado ou rasgado. Um dos piores trechos fica já em SC. Lamentável a situação da estrada. Se fosse asfaltada, seria um ótimo caminho turístico. Mais uma vez, coisa de Brasil, que não sabe valorizar o que é bom. Só não falta é dinheiro para financiar campanha política e para pagar propina para os políticos sem-vergonha. Amanhã é o último dia de viagem. Saio bem cedo de Torres e vou conhecer Maquiné, o município de número 350 no RS.