Passeio pela Argentina e Uruguai

Este post é sobre a viagem de ônibus e barco que fiz em fevereiro de 2019 à Argentina e ao Uruguai. A saída de Porto Alegre foi de ônibus em direção a Buenos Aires. A viagem dura cerca de 20 horas. Fui pela empresa JBL mas não recomendo. Tente a Flecha Bus. Talvez a TTL. A JBL tem muitas paradas, perde-se muito tempo. Bem, Buenos Aires é uma cidade bem bonita. Fiquei num hotel na Calle Florida, no calçadão, quase ao lado do Parque San Martin. Caminhando pelo centro da capital argentina o visitante encontra muitos prédios antigos.

A Praça de  Maio e a Casa Rosada ficam perto do centro.

O bom é comprar uma passagem do Bus Turismo, que custa cerca de 90 reais por 2 dias. Depois é só passear e curtir a cidade.

Um lugar bem bonito é o Jardim Japonês. O ingresso custa cerca de 10 reais.,

A Livraria Ateneo na avenida Santa Fé fica na Recoleta. É outro lugar imperdível. No palco, funciona um café. O local era um antigo teatro.

A Recoleta tem lugares bem bacanas para um café da tarde.

Também andei pelo Caminito, mas as fotos ficaram no meu antigo celular, que foi roubado lá. Um cara passou de bicicleta e levou. Um descuido de minha parte. Não ande com celulares à vista por lá. De resto, minha viagem a Buenos Aires foi tudo bem. De lá peguei o barco para Colônia de Sacramento, no Uruguai. Pelo barco rápido, a travessia dura cerca de 1 hora.

Colonia é uma cidade histórica e caminhar pelo centro é bem legal.

No fim da tarde o bom é curtir o por do sol.

O custo de vida no Uruguai é meio alto. Uma refeição boa dificilmente sai por menos de 50 reais. O ponto positivo é que a carne é ótima. A última etapa da viagem foi em Montevideu. A cidade tem alguns atrativos no centro, como a entrada da Cidade Velha e a Praça da Independência.

Prédios antigos e majestosos podem ser vistos por todo lado.

Faça um passeio guiado pelo teatro Solis.

Há também visitação no Palácio Salvo, ao lado da Praça da Independência.

Na Rambla, é possível curtir o por do Sol.

Pocitos e Punta Carretas são dois destinos para quem gosta de ficar de frente para o mar.

Mas o legal mesmo é caminhar pelo centro.

A foto abaixo é do interior do teatro Solis.

De Montevideu voltei para Porto Alegre de ônibus. Pela empresa argentina EGA. Viagem muito tranquina. Dura umas 12 horas, e tem serviço de bordo. Se você for ao Uruguai e para algumas cidades argentinas, consulte se há passagens pela Ega. É a melhor das empresas que servem os dois países. Tenho planos futuros de voltar ao Uruguai, desta vez de carro. Quero ficar hospedado em Pocitos, para variar um pouco. Nas três vezes em que lá estive fiquei na Ciudad Vieja. Confira mais fotos de viagem no meu perfil no Instagram. Ou no Twitter.

Fazer turismo em Montevidéu não é barato

O Uruguai tem feito muita propaganda na mídia brasileira. O resultado disso é um grande número de turistas brasileiros no país. Em Montevidéu, encontrei mais pessoas falando português do que espanhol. A cidade tem alguns atrativos, mas é cara. A alimentação é cara. Se come mal e se gasta muito. E não estou falando da parrillada, que tem ótimas carnes mas a preço bem salgado. Os pratos mais simples são caros e não tem muito acompanhamento. Isso que um Real vale mais de 8 pesos. É que a comida é muito cara em Montevidéu. Mesmo assim vale a pena conhecer a cidade. Há muita história por lá. Na Ciudad Vieja, há prédios históricos e o que restou da Ciudadela, a fortaleza que contornava a cidade. Na Plaza da Independência, ficou apenas um portal, ponto de referência.

Caminhando pela Rambla, há pedaços do muro.

A Rambla tem mais de 20 km e passa pela região litorânea ou ribeirinha da cidade. Dizem que é o estuário do Rio Paraná e do Rio da Prata, que se misturam com o Atlântico.

O Uruguai tem o Palácio Salvo, já mostrado pelo Blog.

Tem o antigo presídio que virou shopping em Punta Carreras.

E tem muito mais. Se você for a Montevidéu e ficar na região perto da Plaza Independência, um bom lugar para lanches ou café da manhã é este.

Na Sarandi, no calçadão, a duas quadras do antigo portal. Vende produtos naturais também.

Se preferir uma parrijada, vá ao mercado junto ao porto. Na frente do terminal do Buquebus.

Eu fiquei apenas um dia e meio em Montevidéu desta vez, e foi suficiente para passear. Para acompanhar minhas fotos de viagens, me siga no Instagram. Ou no Twitter.

O Palácio Salvo de Montevidéu

Quem circula pela área da Plaza da Independência, em Montevidéu, tem sua atenção chamada por esse prédio de 23 andares, com uma arquitetura diferenciada. É o Palácio Salvo, inaugurado em 1928 para ser um hotel de luxo.

O prédio é imponente. O hotel de luxo funcionou apenas durante um ano, e foi desativado. Hoje, é um edifício principalmente residencial, embora um pouco decadente. Por 25 reais é possível fazer uma visita guiada de uma hora pelo interior do prédio.

O mirante fica um lance acima do andar 23.

Lá pelo décimo andar tem um terraço.

O Palácio Salvo foi construído por um italiano. E durante algum tempo foi o maior edifício da América do Sul. Para acompanhar mais fotos de minhas viagens, me siga no Instagram. Ou no Twitter.