Na Cachoeira do Bianchini, em Siderópolis

Outra atração turística na região de Siderópolis e Nova Veneza. Acesso por asfalto. A cachoeira do Bianchini. Tem uma área para estacionar e a cachoeira fica bem ao lado da estrada

Parece que tem uma trilha que permite observar a cachoeira de baixo, mas não encontrei. Caminhei pela parte de cima, mesmo.

A grande quantidade de pedras permite circular por todo lado.

Da Cachoeira segui em direção a Siderópolis, passando por comunidades do interior. Numa delas fica a bonita igreja de São Floriano.

Mais adiante a antiga capela de Santa Ana.

A capela original era de madeira. Foi construída em 1897. Em 1928 foi renovada. Virou uma capela de alvenaria. O aspecto atual é mais moderno. A capela deve ter sido repintada há alguns anos.

Naquele dia de julho era meio do inverno, mas a temperatura estava bem agradável. Foi possível até saborear um gelato em Nova Veneza. Gelato é aquele sorvete italiano que é muito gostoso. Conheça meu perfil no Instagram e curta minhas fotos.

No Mirante da Torre da Igreja em Siderópolis

Siderópolis fica ao lado de Nova Veneza, na região de Criciúma, em SC. Uma região muito bonita aliás, cheia de atrativos. O mirante da igreja fica na barragem São Bento. Uma pequena localidade que foi tomada pela água da barragem e apenas a torre da igreja ficou visível

A estrada tem asfalto e é bem estreita, quase não dá para parar o carro. A torre da igreja é vista ao longe.

Como já disse, a região é muito bonita e vale o passeio.

Antes de ir ao mirante passei por Nova Veneza para almoçar e saborear um gelato. A praça do centro é uma das atrações.

Outro destaque é uma verdadeira gôndola de Veneza, na Itália.

A atração maior de Nova Veneza são os restaurantes italianos que tem por lá. Nos fins de semana a cidade fica bem movimentada, sendo bem difícil achar lugar para estacionar. Confira mais fotos de meus passeios por aí lá no Instagram.

Um hotel tradicional em Morro dos Conventos

Desde a década de 80 mais ou menos ouço falar em Morro dos Conventos, SC, mas nunca tinha visitado o lugar. Passei por lá em julho e até fiquei uma noite num dos hotéis mais tradicionais da região. O Hotel Morro dos Conventos é antigo, fica no alto de um morro e tem piscinas interna e externa.

A piscina externa tem um bom tamanho e vista para o mar.

A piscina interna parece boa.

Tem salão de jogos e outros locais normais em hotéis de praia.

Os quartos foram remodelados e estão novos. O estacionamento é aberto. Estive lá em julho, com quase nenhum movimento, mas não voltaria no verão. Não gosto de hotéis movimentados demais. Muito barulho e gente mal educada. Bem, ao lado do hotel tem uma pista de voo livre.

Alguns metros acima o farol de Morro dos Conventos, que foi uma decepção. Pequeno e feio, quase escondido. Nem vale a visita.

Morro dos Conventos tem mar aberto. Não sei como é a água. Quando estive lá fazia frio e estava nublado, com o mar de cor bem escura. Passei pela região apenas para conhecer e ficar uma noite. Tenho mais fotos de viagem lá no meu perfil no Instagram.

De Torres a Mampituba por estrada de chão

Depois de passar a noite no Hotel Farol em Torres, segui num domingo de chuva fraca para a cidade de Mampituba, mas por estrada de chão, passando por localidades no interior de Torres e até em Santa Catarina. A primeira das comunidades é o bairro Cortado.

Depois passei por Pirataba, onde tem apenas uma igreja e algumas casas, e atravessei o rio Mampituba para Santa Catarina. Passei pela localidade de Santa Catarina, em São João do Sul, bem às margens do rio.

Ao lado da ponte pênsil tem uma casa antiga abandonada.

Voltando para o RS, passei por uma pequena igreja evangélica luterana, ainda em Torres. Antes de pegar o asfalto, nos últimos quilômetros até Mampituba, encontrei outra casa antiga e abandonada.

De Mampituba atravessei o Rio de novo e voltei para Santa Catarina, passando por Praia Grande e São João do Sul até a BR-101. Meu destino era o litoral catarinense. Confira mais fotos de viagem lá no meu perfil no Instagram.

As torres da antiga igreja de Itá, SC

Uma das atrações turísticas desta cidade catarinense são as torres da antiga igreja, que foi inundada pelo lago da barragem da usina de Itá. Quando estive na cidade pela primeira vez, há uns 15 anos, era visível apenas o topo das torres. Em agosto deste ano voltei a Itá e as torres estavam assim.

Agora existe uma área de lazer e a estrada foi asfaltada, Melhoraram a infra-estrutura.

Itá tem águas termais e um hotel bem caro que atrai turistas. Há outras opções de hospedagem, mas não são muito baratas também. Desta vez fiquei pouco tempo na cidade, depois voltei para o RS. Eu cheguei a Itá pela RS-420 a partir de Erechim, passando por Aratiba. Depois da igreja do lago de Aratiba, mostrada no Post anterior, a RS-420 segue para SC. No caminho, subi uma estrada de chão até um local conhecido como Mirante do Burro Branco.

O lago que se vê lá de cima é formado pela barragem da usina de Itá. Pela RS-420, passa-se bem perto da usina.

A barragem tem vários vertedouros, este é um deles.

A parte de SC está totalmente asfaltada, mas do lado do RS ainda não. No caminho há vários pontos para fotos. Este já fica em SC.

Também há mirantes do lado do RS. O lago da barragem é muito grande.

Há outro caminho para chegar a Itá, passando pela cidade de Concórdia, mas eu fui e voltei por Aratiba, que é mais perto. Confira mais fotos de viagem lá no Instagram.