Na região da Cascata dos Calza

Mais um passeio pelo interior de Cotiporã. Uma área que deve ser bem frequentada nos dias quentes de verão, especialmente nos fins de semana. Tem um rio com corredeiras e uma cascata. Não cheguei a caminhar até o local da cascata, mas circulei pela área do rio.

Para chegar lá é preciso pegar uma estrada de chão com bastante pó e alguns pedregulhos.

Tem bastante lugar para estacionar o carro.

O nome do rio é Vicente Rosa e tem bastante local para banho.

Cotiporã tem muitos lugares para conhecer pelo interior.

A distância estimada do centro da cidade é de 6 km. Na área onde fica a cascata propriamente dita é proibido o banho, por isso acho que a maioria das pessoas prefere ficar na área perto desta ponte, onde há lugar para descansar e curtir melhor o rio. Eu tenho perfil no Instagram, com mais fotos de viagens.

Pelo interior de Carlos Barbosa e Farroupilha

Percorri em fevereiro a estrada de Santo Antônio, que fica entre Carlos Barbosa e Farroupilha, mais ou menos paralela à RS-122. Ao contrário da rodovia estadual, a estrada municipal é sem asfalto, mas transitável.

Depois que saí de Carlos Barbosa, em Farroupilha tinha um capitel, o de Santo Antônio e São Roque.

Mais adiante, a igreja de São Miguel, na comunidade do mesmo nome.

O terreno é bem grande.

Em meio a algumas árvores, vi um casarão antigo ao fundo, mas não entrei no terreno porque tinha cães e não vi moradores.

Logo em seguida a estrada de Santo Antônio termina, na RS-122, bem próximo de Nova Milano. Como Nova Milano é o berço da imigração italiana no RS, imagino que essas estradas de terra eram antigas rotas utilizadas pelos primeiros colonos. Como o italiano é muito ligado à religiosidade, há vários capitéis, capelas e pequenas igrejas espalhados pelos vários distritos. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.

A casa da Famiglia Tasca de Monte Belo do Sul

Um lugar bem interessante para visitar no Vale dos Vinhedos. Fica em Monte Belo do Sul, quase no limite com Bento. Acesso por estrada de chão

Há um museu familiar na casa e o visitante também pode comprar sucos de uva e geléias.

No terreno da Famiglia Tasca há local para piqueniques.

Eu experimentei o suco de uva branca e o tradicional. Os dois são ótimos.

Enfim, um lugar bem interessante para conhecer. Saber um pouco da história dos imigrantes italianos e saborear um suco de uva. Confira mais fotos de viagem no meu perfil no Instagram.

A caverna indígena de Veranópolis

Estive inúmeras vezes em Veranópolis nos últimos anos mas é a primeira vez que visito a gruta indígena. Fica a uns 10 km do centro, do lado direito de quem está na BR 470 em direção ao norte. Há placas indicando o caminho. Depois de sair da BR tem uma estrada estreita, de chão, de uns 5 ou 6 km. Chegando na gruta, é preciso caminhar um trecho.

A descida é fácil e curta.

A gruta tem uns 60 metros mas há luzes na parte interna.

Dizem que índios caingangues viveram na região.

A área tem uma espécie de mirante, mas há muitas árvores em volta.

Depois de visitar a caverna indígena, é só subir de volta…

Veranópolis tem muitas atrações para o turista. O maior problema da cidade são os hotéis. Tem um na margem da BR, com cabanas, que é o melhor. Outro hotel fica no centro da cidade, a uma quadra da igreja. Acontece que as diárias são muito altas. Um quarto para casal chega a custar quase 300 reais, o que é um absurdo. Tem hotel em Caxias pela metade do preço oferecendo muito mais conforto. Veranópolis precisa de um hotel tipo Ibis, e com urgência. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.

Salão comunitário da Linha 23 em Vila Maria ainda se recupera de temporal

Este temporal aconteceu bem no fim de novembro do ano passado. Passei pela região em primeiro de janeiro de 2021 e os estragos ainda estavam à vista. Parte da parede do salão comunitário veio abaixo.

O telhado também foi atingido. Passei de novo pela região em março e as paredes continuavam do mesmo jeito.

O salão comunitário fica ao lado da capela São Roque.

Eu cheguei à região depois de visitar a cascata do porongo. Meu destino era a cidade de Santo Antonio de Pádua, mas passei antes pela capela São José, na localidade de Cerro Paraíso.

Todo o trajeto foi feito por estrada de chão.

No caminho, esta pequena casa que me pareceu abandonada chamou a atenção.

No verão é comum acontecerem temporais em cidades do norte e noroeste do RS. Grandes áreas abertas facilitam a ação do vento. Confira no meu perfil no Instagram mais fotos de viagens.