Lembranças de Santana do Livramento

Eu nasci em Livramento mas morei pouco tempo lá. Me mudei com uns 2 anos e voltei depois com 10. Voltei mais uma vez à cidade em novembro deste ano. Parece que pouco mudou. Na rua Rivadávia Correa, os velhos casarões continuam lá, agora todos prédios comerciais.

img_20191118_1009048251972041582099504170.jpg

Perto dali o colégio Santa Tereza.

img_20191118_10224701057900278916454950.jpg

img_20191118_1040314127332917208207519648.jpg

Uma das escolas públicas.

img_20191118_1033530712316871340436589334.jpg

Na frente uma pequena praça, com ares de abandono.

img_20191118_1037221926466608808600179921.jpg

A piscina do Tênis Clube, onde muito me diverti nos verões.

img_20191118_1046120861070051084101963537.jpg

Caminhando pelas redondezas, muitos casarões, alguns abandonados.

img_20191118_1056574625915413476489996957.jpg

img_20191118_105948683716343036024609489.jpg

A sensação que dá é que Livramento parou no tempo. Há poucos prédios novos. Hoje, quem vai à região está principalmente em busca dos freeshops de Rivera, embora Livramento esteja procurando se diversificar, como a inauguração de um parque de águas termais. A cidade de Rivera também não mudou muito.

img_20191117_1732390677085723788677968868.jpg

No fim de tarde, vê-se muitas pessoas reunidas na praça General Artigas.

img_20191117_1931029511671339531160735438.jpg

Até mesmo a confeitaria City de Rivera perdeu seu Glamour. E os cinemas das duas cidades, onde a gente assistia a 3 filmes na matinê de domingo, não existem mais. Com este Post encerro a série sobre a cidade de Livramento. Já mostrei o Cerro Palomas e o antigo Frigorífico Armour. Nos próximos dias vamos viajar por outras cidades da Campanha, que também estão paradas no tempo. Confira outras fotos no Instagram.

São Gabriel e Rosário do Sul

Duas cidades gaúchas que pouco mudaram ao longo dos anos. Duas cidades bem parecidas. Predomínio de casas. Alguns casarões antigos podem ser encontrados no centro. Em São Gabriel, a prefeitura chama a atenção pela imponência.

img_20191117_1101251668582725940770175206.jpg

Caminhando pelo centro, o tempo parece que parou.

img_20191117_1055445382273194134469199829.jpg

img_20191117_1056010217199215402324194602.jpg

img_20191117_1057453314792746884453699617.jpg

Eu passei pela cidade num domingo ao meio-dia, e as ruas estavam quase desertas.

img_20191117_1100234927047145421111886078.jpg

img_20191117_1100322353298729390663387985.jpg

img_20191117_1101064765248308041987020983.jpg

São Gabriel também é conhecida como a terra dos marechais.

img_20191117_1105584537933646390551718649.jpg

img_20191117_1106083572161037078584629673.jpg

img_20191117_1107545723555780122317505945.jpg

img_20191117_1112598365759717835780902329.jpg

Seguindo mais alguns quilômetros pela BR-290 chega-se a Rosário do Sul. Bem parecida com São Gabriel, Rosário também tem seus casarões.

img_20191117_1301484986366205589306511778.jpg

img_20191117_1303469271946659090073541262.jpg

img_20191117_1303501471927743099130611277.jpgRosário também tem o Rio Santa Maria e sua praia de areias brancas, que já visitei alguns anos atrás. A ponte da BR-290 é uma das maiores da América em concreto armado. Logo depois de Rosário é só pegar a BR-158 para chegar na fronteira com o Uruguai. Confira mais fotos de viagens lá no Instagram.

A difícil viagem para Itacurubi

Itacurubi é uma pequena cidade localizada entre a região das Missões e a Fronteira Oeste. Chegar lá não é tão complicado se o caminho for pela região de Bossoroca. Tem asfalto. Eu cheguei lá pelo outro lado, a partir de São Borja. O GPS me pregou algumas peças e fiz um caminho bem complicado. Estrada de chão com trechos ruins. Mesmo assim cheguei.

img_20191007_1607091612809798210022074375.jpg

Cidade pequena, com calçamento irregular e uma pequena praça.

img_20191007_1607011995648439966363698555.jpg

img_20191007_1606284062622055586480418796.jpg

De Itacurubi eu pretendia seguir direto para Santo Antonio das Missões, sem voltar pelo mesmo caminho. Meu GPS estava enlouquecido. Perguntei para algumas pessoas e encarei a estrada de chão, depois de uns poucos quilômetros em asfalto em direção a Bossoroca. O problema é que o GPS indicava Santo Antonio das Missões no lugar errado. Depois de percorrer mais de 50 km em estrada de chão, cheguei na BR-285. Deveria entrar à direita, mas o GPS mandava para a esquerda. Eu sabia que estava errado, mas segui mesmo assim. Acabei em outra estrada de chão que terminava na cerca de uma fazenda. Esqueci o GPS e segui meu instinto. Chegamos a Santo Antonio das Missões no começo da noite, direto para o único hotel disponível. A foto abaixo é da varanda do hotel, feita na manhã seguinte.

img_20191008_0713098977328941182704556518.jpg

Santo Antonio é pequena também, com poucos atrativos.

img_20191008_0803317384920191478970427748.jpg

img_20191008_0803434687468482459794989683.jpg

Depois da aventura do dia anterior, eu só queria pegar a estrada de novo e partir para novas cidades. Desta vez bem mais desconfiado do GPS. Felizmente o dia foi bastante proveitoso e conhecemos muitos lugares novos. Assunto para o próximo Post. Confira também meu perfil no Instagram.

Encerrando a viagem pela Fronteira Oeste

Faltavam 4 cidades para conhecer na Fronteira Oeste e fiz esta viagem em Outubro. Depois de Barra do Quaraí e Itaqui, segui para Maçambará. A estrada tem asfalto. Maçambará é uma cidade bem pequena, que estava com obras na praça.

img_20191007_1112138294289600317524502054.jpg

img_20191007_1112455128055820917520989537.jpg

img_20191007_1112488305447535205578418333.jpg

img_20191007_1112209467418376448519050252.jpg

São Borja foi o último destino na região. A cidade é voltada para o turismo político, já que é berço de Getúlio Vargas e Jango. O memorial Getúlio Vargas fica na praça do centro.

img_20191007_1304524545251840353586600327.jpg

No mais eu achei São Borja uma cidade bem comum.

img_20191007_1302415781215691966947157157.jpg

 

img_20191007_1303090402270382788028475750.jpg

A casa de João Goulart é apontada como uma das atrações turísticas.

img_20191007_1313039232074126228851871285.jpg

Mais fotos da cidade.

img_20191007_131032395754668311244209385.jpg

img_20191007_1310397406911554901824216487.jpg

Nem a parte junto ao Rio Uruguai é tão bonita.

img_20191007_1329326918933166727438424594.jpg

img_20191007_1329154325482935194817813788.jpg

Depois de São Borja a viagem para conhecer novas cidades seguiu em direção às Missões. Para visitar o próximo município foi uma aventura. Na chegada e na saída. Isso é tema para o próximo Post. Confira mais fotos de viagens lá no Instagram.

Itaqui tem um dos teatros mais antigos da América Latina

O Teatro Prezewodowski foi inaugurado em 1886 e é o segundo mais antigo da América Latina. Está em funcionamento até hoje. O prédio fica bem no centro da cidade, na frente da praça.

img_20191007_0957244015700552435735163321.jpg

img_20191007_0957085595861642439559991941.jpg

Estive em Itaqui em Outubro, no roteiro para conhecer as cidades que faltavam no RS. Ainda sobrou tempo para fazer um tour pela parte interna do teatro.

img_20191007_1002337765201083755247508034.jpg

img_20191007_1003278078440355010232467418.jpg

img_20191007_1003361016104537415744731037.jpg

Tinha um pessoal preparando o palco para alguma atração. Acontece todos os anos por lá o festival de teatro de Itaqui. O nome do teatro é uma homenagem ao capitão-tenente da Marinha Brasileira Estanislau Prezewodowski, que participou da Guerra do Paraguai.

img_20191007_1006111972399109351624070522.jpg

img_20191007_1004520988379499633677548310.jpg

img_20191007_1003173866042278034093640074.jpg

Itaqui é uma das cidades mais antigas do RS e tem muitos casarões espalhados pelo centro e arredores.

img_20191007_1021396877597186886596103950.jpg

img_20191007_1000333988295277160528015133.jpg

img_20191007_0952511635966797627602171170.jpg

img_20191007_095745191_mp4011948035599469408.jpg

A cidade está localizada às margens do Rio Uruguai.

img_20191007_0946287934707726675552207829.jpg

img_20191007_094643958565044578286571538.jpg

Para chegar a Itaqui a partir de Uruguaiana tem que atravessar uma ponte de ferro que é histórica. A ponte permite apenas a passagem de carros em um único sentido, por isso há um semáforo. Quando passei por lá havia caminhões na minha frente, então não foi possível fotografar a ponte. Pretendo retornar a Itaqui para conhecer melhor seus prédios históricos.

img_20191007_0959446273339641949664994422.jpg

Visitei Itaqui no segundo dia do roteiro para conhecer novas cidades gaúchas. No próximo Post, mais uma cidade histórica: São Borja. E o encerramento das cidades que faltavam na Fronteira Oeste. Confira também meu perfil no Instagram, com mais fotos.