Capelas de madeira em São Francisco de Paula

O destino deste Post é o interior de São Francisco de Paula. Um dia chuvoso e frio de novembro. Sim. Fio em novembro. Menos de 10 graus. Teve até neve em SC. E eu passeando pelas estradas de chão do interior. A primeira capela é a de Samambaia. Fica a uns 8 km do centro da cidade.

A capela até que está bem conservada, em comparação com outras que visitei.

Voltando para o centro de São Chico, passei por outra comunidade, a de Lagoas. Estrada de chão bem enlameada.

A capela de madeira de Lagoas é bonita, mas precisa de reparos.

Dizem que há outra capela de madeira na região, mal conservada, mas esta não visitei. O retorno ao centro foi por estrada de chão e a distância era a mesma da capela anterior, uns 8 km. São Francisco de Paula é conhecida por suas várias atrações naturais, mas tem uma hotelaria cara demais pelo que oferece. Confira mais fotos de minhas viagens lá no Instagram.

Em Nova Santa Cruz e Forquetinha

Nova Santa Cruz é uma comunidade rural. Fica em Santa Clara do Sul, ao lado de Lajeado. Na saída de Santa Clara tem uma estrada de chão, que vai até o Monumento ao Arado.

Região muito bonita para fotografar.

Depois tem um trecho de asfalto até a igreja de Nova Santa Cruz.

No caminho, esta bela casa antiga.

Fui conhecer o mirante do vale, que nada mais é uma elevação de onde se tem uma vista panorâmica da área em volta.

Depois peguei estrada de chão passando por outras localidades, até chegar a São Vitor, em Forquetinha, com sua bela igreja no estilo enxaimel.

A cidade de Forquetinha é vizinha de Lajeado e no centro há vários prédios no estilo enxaimel, marca da colonização alemã. Confira mais fotos de minhas viagens por aí lá no Instagram.

Pelo interior de Nova Santa Rita e São Sebastião do Caí

Saindo de Porto Alegre pela BR-116 e depois a 386, fui parar em Nova Santa Rita, onde entrei à direita na estrada da Sanga Funda. Fui até uma área onde tem uma figueira centenária. A árvore fica dentro de uma propriedade particular, então só pode ser vista de longe.

A estrada é de chão, mas está boa.

Seguindo o roteiro, fui até Capela de Santana e depois São Sebastião do Caí, onde conheci uma antiga ponte metálica sobre o rio Cadeia.

Quase ao lado da ponte, esta bela casa antiga.

Seguindo pelos caminhos do Interior, sempre se encontra algo para fotografar.

Um roteiro feito num domingo, bem perto de Porto Alegre. Tem mais fotos de minhas viagens lá no Instagram.

Viagem de Porto Alegre a Gramado sem pagar pedágio

Sempre que posso evito os pedágios. Existem vários caminhos alternativos por aí. Este roteiro feito em Outubro passa por alguns deles. Saí de Porto Alegre pela BR-116 até Picada Café, onde visitei o mirante Edgar Michaelsen. O acesso é feito por estrada de chão.

Tem lugar para estacionar o carro e apreciar a vista da região.

Depois voltei para a BR-116, entrei no centro de Picada Café e fui até a Joanetta, onde peguei uma estrada à esquerda em direção a Nova Harmonia e Treze Colônias, já a caminho de Nova Petrópolis. Em Nova Harmonia tem uma pequena igreja e algumas casas antigas.

Treze Colônias já fica em Nova Petrópolis, próximo de Pinhal Alto.

Seguindo o roteiro, fui até Gramado, passando pelo Morro da Polenta para fugir do pedágio. Em Gramado visitei a comunidade do Caraha, que fica na saída para Três Coroas.

Depois voltei para Nova Petrópolis mas, de novo, fugindo do pedágio, passando por localidades rurais à direita da rodovia estadual para quem desce. Foram quase 200 km de estrada, parte em chão, sem pagar um centavo sequer de pedágio. Confira mais fotos de viagem lá no Instagram.

Pelas estradas de chão do Vale do Rio Pardo e Vale do Taquari

Um roteiro feito por estradas do interior do Interior. Começou num domingo saindo de Porto Alegre pela BR-290 até São Jerônimo, Charqueadas e Passo do Sobrado, onde peguei estrada de chão até a localidade de São Luiz da Malhada. Muitas igrejas pequenas pelo caminho e esta casa de madeira.

Depois de passar a noite de domingo em Santa Cruz do Sul, na segunda-feira peguei a estrada para Sinimbu, onde atravessei o Rio Pardinho.

Era um dia ensolarado com temperatura agradável.

As estradas de chão geralmente estavam em bom estado.

Como eu disse, passei por várias comunidades com suas igrejinhas, algumas mais simples, outras mais bonitas. esta fica na linha Bela Vista.

Meu destino era Boqueirão do Leão, para o almoço. A igreja abaixo fica na localidade de Serafim Schmidt.

Depois do almoço, tentei encontrar a Paleontoca, uma gruta turística em Boqueirão do Leão, mas não achei. Falta mais placas indicativas. No caminho tive de atravessar de carro um pequeno riacho sem ponte.

Segui depois de Boqueirão para Progresso, numa estrada que tem parte asfalto. Numa curva, vi esta pequena capela sem nome.

Seguindo o roteiro, entrei numa estrada de chão em direção a Canudos do Vale. Passei por um sítio onde o morador disse que tem mais de 10 pavões. Um deles eu fotografei.

Na segunda-feira passei a noite em Lajeado, voltando no dia seguinte para Porto Alegre. Como eu já conheço as 497 cidades do RS, ando visitando agora comunidades do interior por aí. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.