Pelas estradas de chão do Vale do Rio Pardo e Vale do Taquari

Um roteiro feito por estradas do interior do Interior. Começou num domingo saindo de Porto Alegre pela BR-290 até São Jerônimo, Charqueadas e Passo do Sobrado, onde peguei estrada de chão até a localidade de São Luiz da Malhada. Muitas igrejas pequenas pelo caminho e esta casa de madeira.

Depois de passar a noite de domingo em Santa Cruz do Sul, na segunda-feira peguei a estrada para Sinimbu, onde atravessei o Rio Pardinho.

Era um dia ensolarado com temperatura agradável.

As estradas de chão geralmente estavam em bom estado.

Como eu disse, passei por várias comunidades com suas igrejinhas, algumas mais simples, outras mais bonitas. esta fica na linha Bela Vista.

Meu destino era Boqueirão do Leão, para o almoço. A igreja abaixo fica na localidade de Serafim Schmidt.

Depois do almoço, tentei encontrar a Paleontoca, uma gruta turística em Boqueirão do Leão, mas não achei. Falta mais placas indicativas. No caminho tive de atravessar de carro um pequeno riacho sem ponte.

Segui depois de Boqueirão para Progresso, numa estrada que tem parte asfalto. Numa curva, vi esta pequena capela sem nome.

Seguindo o roteiro, entrei numa estrada de chão em direção a Canudos do Vale. Passei por um sítio onde o morador disse que tem mais de 10 pavões. Um deles eu fotografei.

Na segunda-feira passei a noite em Lajeado, voltando no dia seguinte para Porto Alegre. Como eu já conheço as 497 cidades do RS, ando visitando agora comunidades do interior por aí. Confira mais fotos no meu perfil no Instagram.

Passeio de carretão no restaurante Nono Otávio

O restaurante Nono Otávio fica em Carlos Barbosa, na estrada que leva a Barão. Serve almoço e café colonial.

O restaurante funciona há mais de 10 anos e foi crescendo ao longo do tempo. Começou no porão da casa, mas agora está bem maior.

Uma das atrações é o passeio de carretão pela propriedade.

Quem fez este passeio foi a Kátia. A seguir o que ela escreveu sobre a experiência:

Uma das atrações é o passeio de carretão pela propriedade. Um passeio que foi feito pela Kátia. O texto que segue é dela: Veja também perfil dela no Instagram.

A alegria de se divertir feito criança

Não faz muito tempo que fiz um passeio em grupo e me diverti muito. Um dos destinos foi o restaurante Nono Otávio, no interior de Carlos Barbosa.

O ponto alto foi o passeio de carretão. Nos divertimos muito, demos boas risadas e ainda podemos ver paisagens incríveis. 

O cachorro Boris nos acompanhou no trajeto. Correu muito mas não desistiu. As vezes parava para tomar água e seguia em frente.

Ainda tivemos uma aula de como é armazenado o pasto  para o gado para que seja consumido no inverno. Fica tudo envolvido em um material semelhante a um plástico bem resistente. 

O carretão puxado por um trator é usado na lida do campo e agora também serve para esta incrível aventura.

A comida tradicional italiana é muito saborosa e ainda tem um aspecto cultural. Por exemplo, como os contos tiveram momentos bem difíceis isto se reflete em aproveitar tudo quando vão cozinhar e isto está presente no cardápio do restaurante. 

O lugar é muito bonito e  relaxante em meio a natureza. 

Para chegar a Carlos Barbosa a partir de Porto Alegre pode-se pegar a RS-240 e depois a 446, ou seguir pela BR-386 até Montenegro e depois pegar a BR-470. Os dois caminhos reservam atrações para o turista. Conheça meu perfil no Instagram e veja mais fotos de viagem.

Na Colônia Japonesa de Ivoti

Todo fim de mês tem feira na colônia japonesa de Ivoti. É sempre no último domingo de cada mês. É dia de visitar a região para saborear produtos orientais. E é bom se preparar, porque a feira é bem movimentada.

Tem de tudo, desde o peixe assado a produtos mais tradicionais do Japão.

Além de refeições, o público pode aproveitar para comprar produtos da região.

O bom é chegar cedo, antes das 11 horas, ou mais tarde.

O caminho mais fácil é a partir da BR-116, logo depois da entrada de Ivoti, para quem sai de Porto Alegre. Agora o acesso ficou mais fácil, porque foi feito um recuo na pista que facilita a manobra. Há placas indicativas da colônia japonesa de Ivoti, que é uma das mais tradicionais do RS. Confira mais fotos de meus passeios lá no Instagram.

Um roteiro pelo Trem dos Vales

A ferrovia do Trigo é bastante conhecida aqui no RS. É possível fazer caminhadas pelos trilhos, túneis e viadutos. Agora temos a oportunidade de circular pela região de trem. O Trem dos Vales circula 3 meses por ano. Em 2022 foi em setembro, e agora em outubro e novembro, apenas nos fins de semana. São 46 km de viagem que dura cerca de 2 horas e meia, passando por 23 túneis e 15 viadutos, entre eles os famosos Mula Preta, Pesseguinho e Viaduto 13. Há 2 roteiros, com saída de Muçum e Guaporé. Se vc sair de Muçum, prefira o lado esquerdo. Se for no sentido inverso, o lado direito. A maior parte da viagem ocorre entre matas e paredões mas, mesmo assim, há muitos trechos mais abertos com paisagens diversas. No meu passeio, saí da estação de Muçum.

Os vagões são antigos, originais. Os bancos são confortáveis para a viagem.

São cerca de 20 vagões, cada um com capacidade para mais de 50 pessoas e estão sempre lotados. Eu tive sorte e meu passeio foi num sábado ensolarado e frio.

Pelo caminho, vistas do rio Guaporé, cascatas e morros.

Os melhores trechos são os viadutos 13, Mula Preta e Pesseguinho. Nos túneis há escuridão, mas tudo é uma festa. No maior deles, mais para o fim da viagem, a passagem pelo túnel de 2,5 Km demora 5 minutos.

A chegada a Guaporé foi com muito frio, apesar do dia ensolarado.

Para fazer o passeio, melhor é procurar agências de viagem. O roteiro deve incluir um almoço e visitas a outros locais do Vale do Taquari. O trem passa pelos municípios de Muçum, Vespasiano Correa, Dois Lajeados e Guaporé. Também é possível conhecer alguns túneis e viadutos a pé. Muitos deles tem acesso fácil, dá para chegar de carro bem perto. No fim das contas, fazendo um resumo da viagem, é possível dizer que o passeio vale a pena. Meu passeio, saindo de Porto Alegre, teve um custo de 440 reais por pessoa, incluindo almoço, trem e tours em Encantado e Muçum, além do shopping de Guaporé no encerramento. No trem não é permitida a entrada com alimentos, mas há venda de produtos. Almoce bem antes de ir e faça um lanche na chegada, em Guaporé. Confira mais fotos de minhas viagens lá no Instagram.