Comunidades pelo interior de Paverama e Estrela

Sempre é possível descobrir lugares novos para conhecer lá pelo interior de cidades gaúchas. Este roteiro foi feito no feriadão de 15 de novembro. Saí no sábado de Porto Alegre, peguei a BR-386 e, depois do pedágio de Montenegro, entrei por Paverama para fugir do segundo pedágio no caminho para Lajeado. No interior de Paverama fui até a comunidade de São José de Santa Manuela.

Para variar, sempre tem uma pequena igreja. Ao lado da igreja esta casa.

A estrada para chegar lá é de chão, mas no distrito tem calçamento, na frente da igreja.

De Paverama voltei para a BR-386 por estrada de chão, chegando na BR na altura do restaurante Rosinha, depois do pedágio. No caminho passei pela pequena igreja de São Pedro, ainda em Paverama.

Depois subi a 386 até a entrada de Bom Retiro do Sul, onde peguei uma estrada secundária em direção a Linha Delfina, no interior de Estrela.

Este distrito já é bem maior. tem duas casas antigas, sendo que uma delas foi ou ainda é um ponto comercial.

Seguindo novamente em direção a BR-386, passei por um cemitério cujas lápides tem muitos nomes em alemão.

Depois de fotografar o pequeno cemitério segui para Lajeado, para passar a primeira noite do roteiro. Como era feriadão, os hotéis estavam muito caros na Serra, então decidi seguir a Lajeado e depois subir a RS-129 em direção ao Norte. Confira mais fotos de meus passeios lá no Instagram.

Na Cascata Doutor Ricardo e outros locais

Doutor Ricardo é uma pequena cidade cortada pela RS-332, que começa em Encantado e termina na BR-386 em Fontoura Xavier. Lá tem uma gruta religiosa e, na mesma estrada, uma cascata.

A estrada da gruta tem asfalto e ao lado da cascata há lugar para estacionar.

É possível chegar bem perto da queda d’água.

Neste roteiro que fiz no ano passado, passei por diversas comunidades da região. Uma delas é a Linha Bonita Alta, também em Doutor Ricardo.

As cidades da região são bem próximas. Em Anta Gorda, passei pela Linha Cordilheira Alta.

Também em Anta Gorda tem a comunidade do Paredão.

Continuando em Anta Gorda, passei pela Linha São Brás.

E depois pela Linha Contini.

Alguns trechos foram em estrada de chão, outros em asfalto. Sempre que possível, fujo das estradas principais e percorro as estradas de chão do interior. São essas que levam aos lugares mais bonitos… Confira outras fotos lá no meu perfil no Instagram.

Na região do Arroio Jacaré, em Encantado

Encantado é aquela cidade do Vale do Taquari que tem o Cristo Protetor, nova atração turística da região. No centro, ao lado da Prefeitura, uma antiga escadaria foi remodelada e virou também uma atração turística.

Bem, saindo de Encantado pela RS-129 em direção ao Norte, logo em seguida tem o trevo de acesso para a RS-332, que leva à região do Arroio Jacaré e cidades como Anta Gorda, Ilópolis e Arvorezinha, entre outras. A comunidade de São Roque também fica por lá. O acesso é por uma estrada asfaltada um pouco antes do Moinho Sangalli.

Na subida tem um local com uma bela vista do Arroio Jacaré.

A estrada começa ao lado da antiga ponte de ferro, que foi construída em 1929.

Hoje já tem uma ponte mais nova.

A antiga ponte foi mantida mais como um ponto turístico.

E ao lado da ponte fica o prédio do Moinho Sangali, outra atração turística da região.

Encantado precisa investir em hotelaria e gastronomia para atender a demanda de turistas que vai procurar o Cristo Protetor. Os hotéis existentes na região são insuficientes. Confira mais fotos de minhas viagens por aí lá no Instagram.

Uma capela de madeira e uma de pedra em Antônio Prado

Uma região de acesso meio complicado, bem nas margens do Rio das Antas, do lado de Antônio Prado. A poucos quilômetros da RS-122 fica esta bela capela de madeira, a capela de Nossa Senhora das Graças.

Este trecho da estrada está bom, apesar de ser de chão.

Da capela avista-se o morro onde fica o Mirante Pagno, do lado de Flores da Cunha, mostrado no Post anterior.

Uns 5 km depois da capela de madeira, fica uma pequena igreja de pedra, de Santo Antônio, que foi cenário do filme O Quatrilho. A igreja aparece bem no começo do filme, apenas alguns segundos. A estrada que leva até lá é bem estreita, e ruim. Tem que atravessar dois riachos, que em época de muita chuva deve ser bem complicado. Estive lá em agosto do ano passado, tempos de estiagem.

Valeu a pena a aventura, porque a capela é bem bonita.

Fica numa área bem isolada.

O melhor caminho para chegar na igreja é pela Linha 30 em Antônio Prado. A estrada é melhor e pega apenas o segundo riacho. Se não for possível atravessar o riacho de carro, dá para ir a pé. A igreja fica a uns 500 metros adiante. Na Linha 30 tem a capela de Nossa Senhora do Caravággio.

Antônio Prado é aquela cidade italiana com casarões históricos no centro, também cenário do filme O Quatrilho.

Neste roteiro, segui de Antônio Prado para Nova Roma do Sul, cuja estrada que liga as duas cidades está em obras intermináveis. O asfalto não chega nunca. De Nova Roma desci até o Rio das Antas, que atravessei de balsa.

Depois é só seguir para Nova Pádua e cidades vizinhas. Nada como circular pelas estradas de chão da Serra. A cada curva, sempre tem uma surpresa. Confira mais fotos de viagem lá no meu perfil no Instagram.

Na comunidade do Monjolo e a antiga igreja de Campestre

A região entre Rolante e Santo Antônio da Patrulha é muito bonita. A viagem entre as duas cidades é feita pela RS-474, asfaltada. Para variar, fiz um caminho alternativo. Primeiro fotografei duas igrejinhas gêmeas em Rolante. São luteranas. A primeira fica quase às margens da RS-239.

A irmã gêmea fica na localidade de Rolantinho, com acesso asfaltado.

Depois segui rumo ao Sul, para Santo Antônio da Patrulha. O asfalto termina e começa o chão. Na localidade de Campestre tem uma antiga igreja católica, que provavelmente está desativada.

Na localidade não tem muitas casas.

O distrito de Monjolo é maior. Lá tem uma bela igreja de ladrilhos.

Tem poucas casas comerciais e um posto de combustível. A estrada para o centro de Santo Antônio da Patrulha ganha asfalto mais adiante. No centro da cidade, tem a famosa avenida com o casario antigo.

O que falta nesta região é um bom hotel, funcional, do tipo Ibis por exemplo. Lá tem algumas pousadas e hotéis mais simples que, algumas vezes, cobram diárias muito acima do que realmente valem. Tem hotéis fazenda, mas não curto muito esse tipo de hospedagem. Confira mais fotos de meus passeios lá no Instagram.