Comunidades em Bom Retiro do Sul e Estrela

Mais um roteiro pelas estradas de chão no interior do RS. Bom Retiro do Sul fica ao lado de Estrela. Circulei bastante num domingo pelos distritos do município. O primeiro é Mundo Novo.

Tudo principalmente por estrada de chão, com muito pó.

Ao lado da igreja Mundo Novo, um terreno particular, fechado, com uma casa bem interessante.

Seguindo para o centro da cidade, tentei conhecer uma gruta e uma cascata, mas estavam fechadas ao público. Depois fui em direção a Estrela, pegando alguns trechos de asfalto. Ainda em Bom Retiro do Sul, a comunidade de São Luiz.

Em outra propriedade fechada, esta com guardião…

Outra comunidade de Bom Retiro do Sul é a de Pinhal.

Depois atravessei a BR_386 em estrela e fui conhecer a Linha Jacob Mallmann.

Tudo isso num domingo de maio, ainda no Outono. Mais fotos de viagem estão lá no Instagram

.

Pelo interior de Paverama e Taquari

Num fim de semana de Outono, subi a BR-386 até o restaurante Rosinha, em Paverama. Lá, entrei numa estrada de chão à esquerda, onde encontrei esta pequena capela.

A capela não tem nome nem aparece no mapa do Google.

Ali já é para os lados de Taquari, mas ainda pertence a Paverama.

Seguindo mais adiante tem uma igreja batista, no município de Taquari.

Seguindo por uma estrada de chão ainda em Taquari, mas em direção a Bom Retiro do Sul, tem uma pequena igreja católica. A igreja do Porto.

No geral, as estradas da região estão boas, apenas com alguns trechos com pedras. Algumas estradas são mais estreitas, mas dá para circular com qualquer tipo de carro. Abaixo, a foto já é no trecho que pertence ao município de Bom Retiro do Sul, para onde fui depois.

Existem muitas comunidades perdidas no interior dos municípios gaúchos. Algumas nem são citadas nos mapas, e outras tem algo interessante para fotografar. Já estou esgotando essas comunidades nas regiões da Serra, Vale do Taquari e Vale do Caí. O resultado de meus passeios pode ser conferido no Instagram.

Almoço na Casa Vanni nos Caminhos de Pedra

Um dos locais mais tradicionais dos Caminhos de Pedra é a Casa Vanni.

Este belo casarão de madeira é da década de 30.

Originalmente o restaurante servia os clientes em mesas no porão. Com a pandemia de covid, passou a espalhar mesas pelo amplo terreno ao ar livre, o que até ficou melhor.

Em dias de sol, é bem agradável almoçar por lá.

Depois do almoço, há espaço para descansar na rede.

Enquanto espera mesa, ou mesmo depois de comer, o cliente tem um amplo espaço para caminhar.

Os pratos são individuais e os preços variam de 50 a 88 reais. O mais caro é o filé à Wellington, ou o filé da casa. É um lugar para um almoço em data especial. Tem um bom atendimento e os pratos são bem gostosos. Se puder, visite a Casa Vanni.

Este roteiro foi feito num fim de semana de maio. Um dia ensolarado com temperatura agradável. Depois de almoçar na Casa Vanni, fui conhecer um casarão de pedra que fica na região do Santuário de Caravággio, em Farroupilha.

Devido ao Outono, algumas árvores estavam bem coloridas na serra Gaúcha.

Os Caminhos de Pedra de Bento tem diversas atrações, para todos os tipos de gosto. Se você acha os hotéis de Bento e Farroupilha mais caros, a melhor opção de hospedagem na Serra é em Caxias do Sul. Sempre há preços mais em conta nos fins de semana, nos diversos hotéis da cidade. Confira mais fotos de viagem no meu perfil no Instagram.

A Comunidade Argentina e outros locais em Protásio Alves

Protásio Alves é aquele município vizinho de Nova Prata, onde ficam as termas Caldas do Prata, muito famosa na região. O interior de Protásio Alves é bem interessante para quem gosta de passear pelas estradas vicinais. A travessando o Rio da Prata, a partir de Nova Prata, entra-se no município vizinho. Há vários locais para atravessar o rio, um deles é ao lado da capela de São Miguel, em Nova Prata.

Uma estrada mista, com asfalto em chão, leva à comunidade Argentina.

O nome Argentina se deve a um time de futebol que os guris da região montaram há muito tempo. O time era a Argentina e o nome pegou. Há poucos moradores por lá.

Bem perto da Comunidade Argentina fica a capela de São Valentim, de madeira.

A capela data da década de 40, foi inaugurada em 1947.

Tem uma porta muito bonita.

O acesso a esta capela é feito por estrada de chão. Há placas indicativas das localidades no interior de Protásio Alves.

Outra comunidade rural da região é a de São João, ainda em Protásio Alves.

Encontrei algumas casas de madeira por lá.

Seguindo depois de volta a Nova Prata por outro caminho, mais ao norte, passei pela comunidade de Campo Alto, com sua igreja bem simples.

O município de Protásio Alves é bem organizado em seu meio rural. Todas as comunidades são devidamente sinalizadas. Há trechos de asfalto e de chão, este último em bom estado. Protásio Alves tem como vizinho, ao Norte, o município de André da Rocha. Confira mais fotos de minhas viagens por aí lá no Instagram.

Pelo interior de Rio Pardo e Santa Cruz do Sul

Um roteiro feito no início de maio pelo Vale do Rio Pardo. Localidades do interior. Primeiro em Rio Pardo, no distrito de Rincão del Rey. Acesso a partir da BR-471 por estrada asfaltada.

O distrito possui cerca de 2.300 habitantes.

De Rincão del Rey, atravessei a BR-471 e peguei estrada de terra para um lugar que o Google indica ser a Vila dos Escrotos. Tem algumas casas bem bonitas e uma pequena igreja, a de São José.

Depois segui para uma localidade em Santa Cruz do Sul, a de São José da Reserva.

Era uma época de pouca chuva no Estado, então a estrada estava seca, com muito pó. No mais, as estradas de chão da região estão boas. São bem largas e planas. Santa Cruz do Sul e Rio Pardo tem muitos distritos com lugares interessantes para visitar. Eu tenho mais fotos de viagens lá no meu perfil no Instagram.