A Casa de Pedra de Caxias do Sul

Este museu municipal de Caxias fica numa antiga casa de uma família de imigrantes. Mostra como era a vida dos primeiros habitantes da região.

img_20190924_102719_7168132046527062918181.jpg

A visita é de graça.

img_20190924_1025104316440905687419780662.jpg

O museu fica perto do centro, no caminho para o parque da Festa da Uva.

img_20190924_1026548085154865886794286470.jpg

Na parte interna, muito material antigo, usado pelos imigrantes.

img_20190924_1014019383477697063379977332.jpg

img_20190924_1020212059155683381306507166.jpg

img_20190924_1021441807538401137782786214.jpg

img_20190924_1022090316854514127433898693.jpg

img_20190924_1025017402837843784610773787.jpg

Há algum espaço para estacionar o carro na frente do museu.

img_20190924_1026321372959294744503478404.jpg

img_20190924_1029119716188781055866202344.jpg

A imigração italiana já completou mais de 100 anos no RS. Confira também meu perfil lá no Instagram.

 

 

Mini Mundo renovado em Gramado

Se você ainda não conhece o Mini Mundo de Gramado, vale a pena conhecer. Se você já esteve por lá alguma vez, vale a pena voltar. O ponto turístico da cidade serrana gaúcha está revitalizado. A começar pela entrada e pelas bilheterias.

img_20190922_1516528536564020570847500440.jpg

img_20190922_1516440848088447676566164510.jpg

img_20190922_151633582_hdr2575812848211377422.jpg

img_20190922_151832170_hdr6917603619832003563.jpg

img_20190922_151851222_hdr454798057836419105.jpg

O espaço das miniaturas tem novas atrações. Há réplicas de locais históricos da Europa e do Brasil também. Ouro Preto está lá.

img_20190922_152158781_hdr8770170485750487165.jpg

Curitiba também.

img_20190922_152258541_hdr1759585929209334589.jpg

São Paulo.

img_20190922_152118682_hdr4952043468811418965.jpg

E até Porto Alegre.

img_20190922_153510182_hdr8899174187132693381.jpg

Vale a pena fazer a visita guiada, porque a gente descobre coisas que não veria se estiver sozinho.

img_20190922_152314710_hdr519635298889321200.jpg

O guia Nelson é muito bom a conta várias histórias aos visitantes.

img_20190922_152625579_hdr4068011054893559421.jpg

A mini cidade é toda ligada por ruas, estradas e ferrovias.

img_20190922_152521862_hdr2488784480757233671.jpg

img_20190922_152341797_hdr1247638710150538238.jpg

img_20190922_152404527_hdr4486739554798813078.jpg

Tem até um aeroporto e um vulcão que solta fumaça de tempos em tempos.

img_20190922_154306566_hdr4012912856341364056.jpg

img_20190922_154253127_hdr4886781923857113788.jpg

Vale a pena passar um tem caminhando entre as atrações do Mini Mundo.

img_20190922_151935672_hdr4741320700149671737.jpg

img_20190922_152404527_hdr4486739554798813078.jpg

img_20190922_153111152_hdr9110694398737350745.jpg

O ingresso custa em torno de 50 reais. Vale a pena visitar. É uma das melhores atrações de Gramado. Confira também minhas fotos no Instagram.

 

 

 

 

 

Uma cascata em Santa Teresa

Santa Teresa é uma cidade vizinha a Bento Gonçalves e Monte Belo do Sul que tem casarões antigos e uma bela igreja no centro. Nos arredores da cidade, numa estrada de chão, descobri esta cascata.

img_20190916_111538754_hdr2533762692316956235.jpg

img_20190916_111523791_hdr1739665155497330514.jpg

Um local bem na margem da estrada de chão, com a água caindo por entre as rochas. Bem bonito.

img_20190916_111621269_hdr6219349139534787961.jpg

A entrada é na rodovia asfaltada que leva a Santa Teresa. Um pouco antes do centro tem uma placa escrito Grutas. Peguei esta estrada e cheguei na cascata.

img_20190916_111632960_hdr7065956946781200019.jpg

Depois segui em frente e voltei por um caminho diferente. A estrada ganha asfalto antes de chegar a Santa Teresa. No trajeto, passei por esta casa antiga.

img_20190916_112352782_hdr975273799550729065.jpg

img_20190916_112448320_hdr1673404392400864074.jpg

img_20190916_112425607_hdr2524434710308323647.jpg

img_20190916_112402299_hdr8161434614544023919.jpg

A foto abaixo é no centro de Santa Teresa.

img_20190916_114124341_hdr6509690613286367254.jpg

No interior do município, na Via dos Plátanos.

img_20190916_113454538_hdr76488044608509775.jpg

Seguindo por estrada de chão até Coronel Pillar. Na Comunidade de Caravaggio.

img_20190916_120750523_hdr1600057311079229955.jpg

Depois de Coronel Pillar, fui para Daltro Filho, em Imigrante. A casa abaixo fica bem no centro da cidade, onde parei mara o almoço.

img_20190916_132620120_hdr3021176657083287564.jpg

Tentei descobrir uma cascata em Imigrante, mas não consegui, Cheguei perto, nesta casa. Como não havia ninguém, preferi não seguir adiante.

img_20190916_135043317_hdr7746798385201246672.jpg

Imigrante tem o Mosteiro São Boaventura e o Cactário e vale a pena passear por lá. Confira mais fotos lá no meu Instagram.

Nas 497 cidades do Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul tem 497 municípios e eu conheço todos. Não sei de mais ninguém que tenha esse feito no currículo. Estive nas 497 cidades gaúchas. Até mesmo naquelas com difícil acesso. A meta foi atingida em 10 de outubro, em Giruá, no Noroeste.

img_20191010_12164719365572902435411406.jpg

Giruá fica perto de Santa Rosa e é uma cidade de pequena para média. A viagem para encerrar as 497 cidades durou 6 dias. Rodei 2.600 km saindo de Porto Alegre para a Fronteira Oeste e depois Missões. A primeira cidade que visitei foi Barra do Quaraí, na fronteira com o Uruguai.

img_20191006_1509283316914644890536150987.jpg

A partir daí visitei mais 30 cidades, fechando todas do RS. A viagem teve de tudo. Estrada asfaltada com buracos, muito chão – foram quase 200 km em estrada de terra – e travessias de balsa em rios. Cruzei o rio Piratini e o Riu Ijuí, num total de 4 passagens de balsa.

img_20191009_1028567453235949259809656801.jpg

Nos 200 km de estrada de chão teve alguns trechos ruins e outros nem tanto, mas muito pó.

img_20191008_09220299535150817146486916.jpg

Passei por locais históricos, como o sítio arqueológico de São Nicolau, com ruínas das Missões.

img_20191009_0948123212614812330488297933.jpg

E conheci várias cidades às margens do majestoso Rio Uruguai.

img_20191009_1525024907345540923752801785.jpg

Tudo isso será contado em mais detalhes a partir do fim do mês. Tenho vários Post agendados no site e depois começa a saga dos últimos 31 municípios que faltavam para conhecer no RS. Não é fácil percorrer estas nossas estradas, com motoristas mal educados, intolerantes, buracos, falta de sinalização e, principalmente, falta de fiscalização das polícias rodoviárias. No caderno de Turismo de ZH de hoje, 15 de outubro, sai uma matéria sobre nossa viagem – minha e da Kátia -, na coluna da Rosane Tremea.

img-20191015-wa00002465864731520644225.jpg

Como não sou assinante de ZH não tenho como postar o link da matéria, mas está lá no jornal. Mais adiante vou falar detalhadamente sobre esta viagem. De mais, continuo viajando, já com novos planos. Confira as fotos de minhas viagens lá no Instagram.

Balões na Serra Gaúcha

Festivais de balonismo tem acontecido com frequência no RS. O mais recente ocorreu em Bento Gonçalves, na metade de setembro. Passei pela cidade no último dia do evento, um domingo. O local estava lotado. No fim da tarde os balonistas deram as caras.

img_20190915_163633066_hdr582136257834762526.jpg

O dia estava com céu claro, sem vento e com temperatura de 30 graus. Parecia verão.

img_20190915_171132639_hdr7288080178604613185.jpg

Eram 7 balonistas que subiram ao céu em Bento naquele dia.

img_20190915_172024163278437757061215357.jpg

O público tem pouco tempo para ver os balões. Assim que sobem, são levados pelo vento. O evento dura pouco.

img_20190915_163512270_hdr4464903914492254910.jpg

img_20190915_1654266158499257803101779388.jpg

Mesmo assim ainda é um espetáculo bonito.

img_20190915_170426806_hdr723728408397341248.jpg

img_20190915_171201954711823495566096019.jpg

O valor do ingresso para entrar no parque e assistir à subida dos balões de perto era de 15 reais. Mesmo assim, que estava mais longe também podia acompanhar. Depois os balões foram levados pelo vento para os lados do Vale do Caí. Acompanhe também meu perfil no Instagram, com mais fotos de viagens.