Saindo de Sete de Setembro para Ubiretama

Três cidades bem pequenas neste Post. Sete de Setembro é conhecida como Cidade das Águas. Cheguei lá a partir da BR-392. Na chegada tem a ponte sobre o Rio Comandaí.

img_20191008_1120434449059270847451982991.jpg

Ao longe se vê a Capela São Roque.

img_20191008_1121160233359641822860906556.jpg

img_20191008_1123177096585561488821950219.jpg

De Sete de Setembro pegamos a estrada de chão para Senador Salgado Filho. Outra cidade bem pequena da região.

img_20191008_1236270346537772955025798562.jpg

img_20191008_1236455181458277706702842363.jpg

img_20191008_1236505108364376561684220343.jpg

A última cidade do Post é Ubiretama, que é ligada a Senador Salgado Filho por estrada de chão.

img_20191008_1301513377075060765473652918.jpg

img_20191008_1300590064458637178427335284.jpg

img_20191008_1301092614731873920540508592.jpg

A prefeitura.

img_20191008_1303071856250623736866443673.jpg

img_20191008_1303207233589205822300351210.jpg

Estas três cidades são vizinhas e foram visitadas rapidamente numa manhã. Mesmo seguindo por estrada de chão, a viagem foi rápida porque as estradas não estavam ruins. Saindo de Ubiretama para Cândido Godoi, fotografei esta casa antiga, às margens da estrada.

img_20191008_1312520698666369079891683576.jpg

No próximo Post algo inusitado que conheci na cidade de Cândido Godoi. O Post sai amanhã. Nesta semana as postagens serão diárias. Até sexta-feira encerro a série sobre a viagem para conhecer as cidades que faltavam no RS. Confira mais fotos das viagens lá no meu perfil no Instagram.

De Rolador a Guarani das Missões

Seguindo o roteiro pela região das Missões gaúcha. Quatro cidades para conhecer neste Post. Rolador é a primeira. Fica na região de São Luiz Gonzaga. Tem acesso por asfalto, com alguns trechos em estrada de chão. Rolador é conhecida como Terra Fértil Missioneira. E A primeira foto é da praça com a Cruz Missioneira.

img_20191008_0903079724953012870242799596.jpg

Alguns detalhes da cidade.

img_20191008_09031421419824340727781091.jpg

img_20191008_0903185817543979303814785439.jpg

Depois de Rolador pegamos estrada de chão. Por sorte, geralmente em bom estado. Seguimos para a vizinha Caibaté.

img_20191008_0922029954331712887208199234.jpg

A cidade de Caibaté não se diferencia muito de Mato Queimado. É bem pequena também.

img_20191008_0946510328938107974723512158.jpg

img_20191008_0946480306827761600440494232.jpg

img_20191008_094657156768451214687393554.jpg

Tem uma praça.

img_20191008_0947175646496874573290088712.jpg

E a igreja matriz.

img_20191008_0947433146018865233187422443.jpg

Seguimos em estrada de chão para a igualmente pequena Mato Queimado.

img_20191008_1014466286304147119909624686.jpg

De lá também tem foto da igreja.

img_20191008_1016553682977965985595420128.jpg

No centro da cidade tem avenida asfaltada.

img_20191008_1014543092463782402443420086.jpg

Cidade pequena não é diminutivo. Tem muita cidade pequena pelo RS com boa qualidade de vida.E muita área verde também.

img_20191008_101510212583778539927586018.jpg

De Mato Queimado para Guarani das Missões a distância não é grande, mas tem o Rio Ijuí no meio.

img_20191008_1033261793497668842736877233.jpg

Atravessamos de balsa.

img_20191008_1039509571662096926462456694.jpg

img_20191008_1039000634480829582256027164.jpg

O trabalho desses balseiros é muito importante. Graças a eles cortamos caminho entre várias cidades. Bem, Guarani das Missões é bem parecida com as cidades anteriores.

img_20191008_1058425344388120156839966668.jpg

Tem um prédio grande onde funciona um colégio. Ao lado da igreja.

img_20191008_1059038663810017134646452252.jpg

E pouco para fotografar, pelo menos no centro. Uma cidade pequena e tranquila, como tantas outras pelo RS.

img_20191008_1059201708560798640962135582.jpg

Em Guarani das Missões chegamos a 476 cidades visitadas no RS. Faltavam menos de 20, então. Assunto para os próximos posts. Confira fotos de várias cidades visitadas lá no Instagram.

 

 

A difícil viagem para Itacurubi

Itacurubi é uma pequena cidade localizada entre a região das Missões e a Fronteira Oeste. Chegar lá não é tão complicado se o caminho for pela região de Bossoroca. Tem asfalto. Eu cheguei lá pelo outro lado, a partir de São Borja. O GPS me pregou algumas peças e fiz um caminho bem complicado. Estrada de chão com trechos ruins. Mesmo assim cheguei.

img_20191007_1607091612809798210022074375.jpg

Cidade pequena, com calçamento irregular e uma pequena praça.

img_20191007_1607011995648439966363698555.jpg

img_20191007_1606284062622055586480418796.jpg

De Itacurubi eu pretendia seguir direto para Santo Antonio das Missões, sem voltar pelo mesmo caminho. Meu GPS estava enlouquecido. Perguntei para algumas pessoas e encarei a estrada de chão, depois de uns poucos quilômetros em asfalto em direção a Bossoroca. O problema é que o GPS indicava Santo Antonio das Missões no lugar errado. Depois de percorrer mais de 50 km em estrada de chão, cheguei na BR-285. Deveria entrar à direita, mas o GPS mandava para a esquerda. Eu sabia que estava errado, mas segui mesmo assim. Acabei em outra estrada de chão que terminava na cerca de uma fazenda. Esqueci o GPS e segui meu instinto. Chegamos a Santo Antonio das Missões no começo da noite, direto para o único hotel disponível. A foto abaixo é da varanda do hotel, feita na manhã seguinte.

img_20191008_0713098977328941182704556518.jpg

Santo Antonio é pequena também, com poucos atrativos.

img_20191008_0803317384920191478970427748.jpg

img_20191008_0803434687468482459794989683.jpg

Depois da aventura do dia anterior, eu só queria pegar a estrada de novo e partir para novas cidades. Desta vez bem mais desconfiado do GPS. Felizmente o dia foi bastante proveitoso e conhecemos muitos lugares novos. Assunto para o próximo Post. Confira também meu perfil no Instagram.

Encerrando a viagem pela Fronteira Oeste

Faltavam 4 cidades para conhecer na Fronteira Oeste e fiz esta viagem em Outubro. Depois de Barra do Quaraí e Itaqui, segui para Maçambará. A estrada tem asfalto. Maçambará é uma cidade bem pequena, que estava com obras na praça.

img_20191007_1112138294289600317524502054.jpg

img_20191007_1112455128055820917520989537.jpg

img_20191007_1112488305447535205578418333.jpg

img_20191007_1112209467418376448519050252.jpg

São Borja foi o último destino na região. A cidade é voltada para o turismo político, já que é berço de Getúlio Vargas e Jango. O memorial Getúlio Vargas fica na praça do centro.

img_20191007_1304524545251840353586600327.jpg

No mais eu achei São Borja uma cidade bem comum.

img_20191007_1302415781215691966947157157.jpg

 

img_20191007_1303090402270382788028475750.jpg

A casa de João Goulart é apontada como uma das atrações turísticas.

img_20191007_1313039232074126228851871285.jpg

Mais fotos da cidade.

img_20191007_131032395754668311244209385.jpg

img_20191007_1310397406911554901824216487.jpg

Nem a parte junto ao Rio Uruguai é tão bonita.

img_20191007_1329326918933166727438424594.jpg

img_20191007_1329154325482935194817813788.jpg

Depois de São Borja a viagem para conhecer novas cidades seguiu em direção às Missões. Para visitar o próximo município foi uma aventura. Na chegada e na saída. Isso é tema para o próximo Post. Confira mais fotos de viagens lá no Instagram.

Itaqui tem um dos teatros mais antigos da América Latina

O Teatro Prezewodowski foi inaugurado em 1886 e é o segundo mais antigo da América Latina. Está em funcionamento até hoje. O prédio fica bem no centro da cidade, na frente da praça.

img_20191007_0957244015700552435735163321.jpg

img_20191007_0957085595861642439559991941.jpg

Estive em Itaqui em Outubro, no roteiro para conhecer as cidades que faltavam no RS. Ainda sobrou tempo para fazer um tour pela parte interna do teatro.

img_20191007_1002337765201083755247508034.jpg

img_20191007_1003278078440355010232467418.jpg

img_20191007_1003361016104537415744731037.jpg

Tinha um pessoal preparando o palco para alguma atração. Acontece todos os anos por lá o festival de teatro de Itaqui. O nome do teatro é uma homenagem ao capitão-tenente da Marinha Brasileira Estanislau Prezewodowski, que participou da Guerra do Paraguai.

img_20191007_1006111972399109351624070522.jpg

img_20191007_1004520988379499633677548310.jpg

img_20191007_1003173866042278034093640074.jpg

Itaqui é uma das cidades mais antigas do RS e tem muitos casarões espalhados pelo centro e arredores.

img_20191007_1021396877597186886596103950.jpg

img_20191007_1000333988295277160528015133.jpg

img_20191007_0952511635966797627602171170.jpg

img_20191007_095745191_mp4011948035599469408.jpg

A cidade está localizada às margens do Rio Uruguai.

img_20191007_0946287934707726675552207829.jpg

img_20191007_094643958565044578286571538.jpg

Para chegar a Itaqui a partir de Uruguaiana tem que atravessar uma ponte de ferro que é histórica. A ponte permite apenas a passagem de carros em um único sentido, por isso há um semáforo. Quando passei por lá havia caminhões na minha frente, então não foi possível fotografar a ponte. Pretendo retornar a Itaqui para conhecer melhor seus prédios históricos.

img_20191007_0959446273339641949664994422.jpg

Visitei Itaqui no segundo dia do roteiro para conhecer novas cidades gaúchas. No próximo Post, mais uma cidade histórica: São Borja. E o encerramento das cidades que faltavam na Fronteira Oeste. Confira também meu perfil no Instagram, com mais fotos.