Capitel de pedra a caminho do Rio Tega

Saindo de Otávio Rocha em direção a Mato Perso, passei pela capela de Caravággio, mostrada no Post anterior. Alí termina o asfalto. Depois peguei uma estrada de chão em direção ao rio Tega. No caminho, um capitel de pedra.

A estrada de chão é bem estreita.

Seguindo indicações do Google Maps, passei por uma casa antiga, considerada histórica.

Já bem próximo da ponte tem outro capitel.

O nome está caindo, mas dá para ver que é capitel de Santo Antônio.

Logo em seguida fica a ponte sobre o rio Tega.

O Rio Tega também passa por Caxias do Sul. Confira mais fotos de meus passeios pelas comunidades do interior lá no Instagram.

Na comunidade da Linha 80 em Flores da Cunha

Esta localidade de Flores da Cunha fica na estrada que leva ao distrito de Otávio Rocha. Lá tem a capela de Santo Antônio.

A estrada é asfaltada e está em boas condições.

A capela fica na frente de uma pequena praça.

Seguindo em frente fica Otávio Rocha. De lá, neste roteiro peguei uma estrada que leva a Mato Perso, passando pelo rio Tega. Na saída, quando termina o asfalto, fica a capela de NS de Caravaggio.

É uma capela bem bonita, com um desenho que lembra templos orientais.

A capela tem ao lado uma torre de pedra.

Todo o interior de Flores da Cunha é cheio de vinícolas e vinhedos. Tem muita coisa para ver e conhecer no município. O distrito de Otávio Rocha é muito visitado por turistas. Lá tem um hotel e um ótimo restaurante de comida italiana, o Dona Adélia. Confira mais fotos de viagem no meu perfil no Instagram.

De Nova Petrópolis a Vila Oliva sem passar por Caxias

Um caminho direto de Nova Petrópolis até Vila Oliva, onde deve ser construído o novo aeroporto da Serra. Claro que a maior parte é por estrada de chão, por isso é recomendado apenas para quem curte passear pelo interior do Interior. Naquele roteiro, feito em abril, passei a noite na ótima Pousada da Neve, em Nova Petrópolis.

A pousada não é barata. Uma diária para casal não sai por menos de 200 reais, mas vale a pena conhecer.

De Nova Petrópolis, peguei a RS-235 em direção a Gramado. Antes do pedágio, entrei à esquerda numa estrada de chão para a localidade de Nossa Senhora do Pedancino. A estrada é boa do lado de Nova Petrópolis. Depois do Rio Caí, a subida tem trechos estreitos, mas é possível trafegar bem. No caminho tem a capela de São Paulo, de pedra, que estava bem bonita com as árvores coloridas no Outono.

Chegando perto de Santa Lúcia do Piaí, tem uma capela de madeira, bem simples.

Em frente a esta capela peguei a estrada à direita, para Vila Oliva. Está em obras, então é preciso ter cuidado com trechos com pedras. No caminho passei pela bonita capela de Nossa Senhora do Caravággio.

A estrada tem alguns trechos com asfalto pronto. Outros trechos em obras. Passando por Vila Oliva, na saída para Fazenda Souza, tem uma pequena capela, a de Nossa Senhora Aparecida.

Ao lado da capela, uma antiga escola municipal, que deve estar desativada.

São as peculiaridades das comunidades do interior. De Vila Oliva até Fazenda Souza e a Rota do Sol tem asfalto. É possível fazer uma viagem de Vila Oliva a Gramado, passando por uma histórica ponte de ferro, mas é estrada de chão. Um passeio turístico que poucos conhecem. Um pouco da Ponte do Raposo pode ser conhecido neste POST DO SITE. E para conhecer outros roteiros que fiz pelo interior, visite meu perfil no Instagram.

O vilarejo de Jammerthal, em Picada Café

Esta pequena comunidade tem população de origem alemã em sua maioria. Fica ao norte da sede do município de Picada Café, e de lá pode-se seguir para Pinhal Alto, em Nova Petrópolis. As estradas de chão da região estão em bom estado.

No Jammerthal tem a pequena igreja, o cemitério, uma escola e casas antigas.

Passei por lá num domingo à tarde e a localidade estava bem tranquila.

Ao lado da igreja tem casas antigas.

Naquele dia circulei bastante por estradas da região. Tentei chegar na cascata do Jammerthal, mas a trilha para descer estava muito íngreme e escorregadia. Pretendo voltar em outra oportunidade, com calçado especial.

Domingo à tarde é dia em que ciclistas costumam pedalar pelas estradas de terra do Interior.

Antes de chegar a Picada Café passei por uma pequena comunidade às margens da BR-116 perto da Tenda do Umbú. Lá fica a igreja da Visitação, ao lado do chamado Memorial da Fé.

Picada Café é uma pequena cidade perto de Nova Petrópolis. Lá tem uma ótima pousada, a Camponesa, um lugar bem tranquilo para ficar. Tem ainda o Morro do Vento. Fica a menos de 100 km de Porto Alegre pela BR-116. Confira mais fotos de minhas viagens pelo interior do RS e outros lugares lá no meu perfil no Instagram.

Casarões e mais uma capela de madeira na Serra Gaúcha

No interior de Monte Belo do Sul, descendo um dos caminhos de terra em direção à RS-431, passei por uma casa bem antiga em meio aos vinhedos.

Embora a estrada seja bem estreita, parei o carro para uma rápida foto.

Depois de fazer um lanche em Santa Bárbara, interior de São Valentim, fui até a localidade de São Jerônimo, onde eu tinha descoberto um belo casarão de madeira. Na primeira vez que passei por lá o céu estava bem nublado. Desta vez tinha muito Sol.

Depois voltei para a 431 e atravessei a ponte sobre a nascente do Rio Taquari, na junção dos rios Carreiro e das Antas. Peguei uma estrada de chão à direita da ponte, para quem segue para Bento. Esta estrada vai até Santa Tereza pelas margens do Rio Taquari. No caminho, a pequena capela da Comunidade de São José.

Esta estrada de chão cruza uma linha ferroviária e passa ao lado de um viaduto ferroviário. Tenho certeza de que há túneis no meio da mata, já que há um grande morro por ali. Numa próxima viagem à região vou caminhar pelos trilhos e tentar descobrir algum túnel. Mais fotos de viagem estão no meu perfil no Instagram.